Correio do Povo | Notícias | Beneficência Portuguesa está atendendo somente 10% da sua capacidade de pronto atendimento

Porto Alegre

29ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 13 de Novembro de 2018

  • 09/11/2018
  • 14:31
  • Atualização: 14:38

Beneficência Portuguesa está atendendo somente 10% da sua capacidade de pronto atendimento

Espaço pode receber até 250 pacientes por dia, mas não tem sido procurado suficientemente

Montagem dos equipamentos de endoscopia e colonoscopia está em fase final | Foto: Alina Souza

Montagem dos equipamentos de endoscopia e colonoscopia está em fase final | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Henrique Massaro

Reinaugurado há aproximadamente dois meses, um dos hospitais mais tradicionais de Porto Alegre, o Beneficência Portuguesa, está atendendo somente 10% da sua capacidade de pronto atendimento. O espaço, voltado a convênios e consultas privadas, pode receber até 250 pacientes por dia, mas não tem sido procurado suficientemente pela população.

A Associação Beneficência São Miguel (ABSM), de Gramado, que assumiu a instituição depois da grave crise financeira que levou o local a ficar próximo de fechar, negocia com a prefeitura um novo contrato para voltar a atender também pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O diretor executivo da ABSM, Ricardo Pigatto, afirma que não se sabe o motivo pelo qual o movimento está baixo desde a reinauguração quando diversos pronto atendimentos da cidade registram filas, mas acha que possivelmente o tempo em que o serviço esteve fechado no Beneficência e a falta de divulgação da retomada tenham criado essa situação. De acordo com ele, a instituição atende por todos os convênios, com exceção da Unimed.

Além deste serviço, está sendo finalizada a montagem dos equipamentos de endoscopia e colonoscopia, que devem receber inspeção da vigilância sanitária na próxima semana para começar a disponibilizar 50 procedimentos por dia.

O retorno do atendimento SUS, conforme Pigatto, depende das negociações com a prefeitura. O Beneficência tem uma dívida de aproximadamente R$ 8 milhões com o município e, assim que for quitada, o serviço deve ser retomado. Ainda segundo o diretor, o pagamento deve ser feito através de uma prestação de serviços.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que propôs ao Hospital procedimentos diagnósticos e terapêuticos que diminuam listas de espera da cidade. "Após a quitação deste valor, a Gestão Municipal avaliará a necessidade de nova contratação, já que estamos em forte momento de expansão da rede assistencial, assim como da qualidade dos serviços prestado", comunicou, em nota, a pasta.

Até o final do ano, a expectativa da ABSM é de que o Beneficência inaugure o bloco cirúrgico, a UTI e outros 50 leitos. Com isso, a instituição, que tem uma capacidade para 163 leitos, chegará a 150. De acordo com Pigatto, diversos médicos de diferentes especialidades já estão se vinculando ao corpo clínico. Ainda segundo ele, a instituição, que, durante a crise, revelou uma dívida estimada em R$ 100 milhões, finalizou um portal para facilitar os pagamentos. Através do site www.credoreshbp.com.br, credores podem se cadastrar e se habilitar. Com isso, a ideia é simplificar a mensuração e começar a quitar os débitos no início de 2019.