Correio do Povo | Notícias | Motoristas encontram buracos e lixo no trecho Capital-Litoral da Freeway

Porto Alegre

27ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 07/09/2018
  • 13:59
  • Atualização: 14:48

Motoristas encontram buracos e lixo no trecho Capital-Litoral da Freeway

Movimento foi intenso nas rodovias gaúchas nessa manhã

Motoristas tiveram que enfrentar uma estrada com muitos buracos na Freeway | Foto: Ricardo Giusti

Motoristas tiveram que enfrentar uma estrada com muitos buracos na Freeway | Foto: Ricardo Giusti

  • Comentários
  • Franceli Stefani

O feriado de temperatura agradável e céu azul fez com que milhares de pessoas pegassem a estrada rumo ao Litoral, interior e região Sul do Estado. Desde as primeiras horas da manhã, o movimento é intenso nas rodovias gaúchas. Na Rodoviária, o fluxo de pessoas está igualmente intenso, enquanto as ruas de Porto Alegre registram movimento bem abaixo do tradicional. Na Freeway, por outro lado, os motoristas enfrentam a estrada sem muitas informações, buracos e muito lixo nos locais destinados a parada, os SOS.

Na rodovia, que teve reforço da equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF), por volta do meio-dia foram registrados trechos com trânsito lento entre Porto Alegre o litoral Norte. Quem passava pela região. Entre os pontos de lentidão, o principal estava no entrocamento com a ERS 040 entre Gravataí e Glorinha. A orientação da PRF é calma e tranquilidade para enfrentar o trânsito e, com isso, evitar acidentes. O congestionamento também foi relatado na BR-386 em Nova Santa Rita. Sem ocorrências no trecho, o fluxo foi acentuado durante parte do dia, principalmente nos quilômetros 430 ao 426, sentido interior.

Na mesma rodovia, entre Montenegro e Nova Santa Rita, nos quilômetros 434 a 426, o trânsito estava congestionado, principalmente devido ao número superior de automóveis e ao estreitamento na ponte do rio Caí. A 92ª edição da operação Viagem Segura de Independência, que iniciou quinta e segue até domingo, envolve as policiais rodoviária Estadual e Federal, Civil, Brigada Militar e DetranRS. No ano passado, a operação contabilizou 28 mortes em decorrência de acidentes, contabilizando as vítimas até 30 dias após a ocorrência.