Correio do Povo | Notícias | Nave com primeira astronauta italiana chega à Estação Espacial

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 18 de Setembro de 2018

  • 24/11/2014
  • 07:33
  • Atualização: 07:43

Nave com primeira astronauta italiana chega à Estação Espacial

Samantha Cristoforetti viajou acompanhada de russo e americano na Soyuz

  • Comentários
  • AFP

A nave Soyuz com a primeira astronauta italiana da história, Samantha Cristoforetti, se acoplou com sucesso nesta segunda-feira à Estação Espacial Internacional (ISS), informou a Nasa. A italiana, que viajou acompanhada de um russo, Anton Shkaplerov, e de um americano, Terry Virts, em uma nave Soyuz TMA 15-M, que decolou em Baikonur às 21h (19h de Brasília) desse domingo, chegou à ISS às 2h49min (0h49min de Brasília) de segunda-feira.

"Uma nova nave chegou. Está confirmado que a Soyuz está corretamente acoplada à estação", anunciou a Nasa. Samantha, da Agência Espacial Europeia, é a primeira mulher italiana a viajar ao espaço. A astronauta de 37 anos, que também é oficial da Aeronáutica italiana, permanecerá a bordo da ISS até maio de 2015. Na estação já estavam três astronautas, o americano Barry Wilmore e os russos Alexander Samokutiayev e Elena Serova, que devem retornar em março à Terra.

A viagem representa uma mudança gastronômica na ISS, já que os astronautas transportaram quase meio quilo de caviar, informou Alexander Agureyev, um dos diretores da estação. A Soyuz transportou 15 latas 30 gramas de caviar, além de laranjas, limões, tomates, rações de leite liofilizado e chá sem açúcar. De acordo com Agureyev, este foi um pedido dos astronautas para o Ano Novo.

Samantha também levou para a estação uma "ISSpresso", uma máquina de café que pesa 20 quilos. Ao todo, 16 países participam da ISS. Rússia e Estados Unidos financiam a maior parte do projeto. A construção desse laboratório orbital posto em órbita em 1998 custou 100 bilhões de dólares. Em janeiro teve sua vida prolongada pela Nasa até 2024. A Nasa depende da Rússia para enviar astronautas à ISS, o que custa 70 milhões de dólares por passageiro nas naves Soyuz.