Correio do Povo | Notícias | Suicídio de mulher que teve vídeo sexual exposto na internet choca Itália

Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

  • 15/09/2016
  • 11:10
  • Atualização: 11:19

Suicídio de mulher que teve vídeo sexual exposto na internet choca Itália

Tiziana Cantone se enforcou após travar batalha processual e ter sofrido com bullying durante um ano

Suicídio de mulher que teve vídeo sexual exposto na internet choca Itália | Foto: Giacomo Di Laurenzio / NewFotoSud / Ilmattino / Reprodução / CP

Suicídio de mulher que teve vídeo sexual exposto na internet choca Itália | Foto: Giacomo Di Laurenzio / NewFotoSud / Ilmattino / Reprodução / CP

  • Comentários
  • AFP

O suicídio de uma mulher que lutou por meses para que retirassem da internet um vídeo em que aparecia transando levantou polêmica e indignação na Itália. Tiziana Cantone, 31 anos, se enforcou na casa de sua tia em Mugnano, perto de Nápoles (sul), angustiada e humilhada por ter se transformado em alvo de todo tipo de bullying.

Tudo começou há um ano, quando a jovem enviou para seu ex-namorado e algumas amigas um vídeo em que aparecia tendo relações sexuais com outro homem. O vídeo caiu na rede e foi visto por quase um milhão de internautas, sem que ela soubesse. Envergonhada, se mudou para Toscana e tentou mudar de identidade, mas seu pesadelo não acabou.

"Está filmando? Bravo", disse o homem no vídeo, palavras que ganharam força em forma de memes, hashtags e até mesmo em camisetas. Depois de uma difícil batalha legal, Tiziana conseguiu que o vídeo fosse retirado de vários motores de busca e plataformas, como o Facebook. No entanto, teve que pagar 20 mil euros por gastos processuais, um motivo a mais que a levou a acabar com sua vida, segundo a imprensa italiana.

"Por que as imagens ainda estão na rede? Por que ainda rimos de uma moça que acabou com a própria vida devido às humilhações que sofreu?", questiona o editorial do jornal "Il Mattino". Os promotores de Nápoles abriram uma investigação por "indução ao suicídio" e a justiça terá de determinar quem são os responsáveis diretos ou indiretos da morte.