Correio do Povo | Notícias | Trump não descarta prolongar trégua comercial de 90 dias com a China

Porto Alegre

33ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

  • 04/12/2018
  • 13:17
  • Atualização: 13:47

Trump não descarta prolongar trégua comercial de 90 dias com a China

Negociação entre EUA e Xi Jinping foi feita na cúpula do G20, no último sábado

Trump e Xi Jinping entraram em trégua diante de tensão econômica entre EUA e China | Foto: Jim Watson / AFP / CP

Trump e Xi Jinping entraram em trégua diante de tensão econômica entre EUA e China | Foto: Jim Watson / AFP / CP

  • Comentários
  • AE

O presidente dos EUA, Donald Trump, informou por meio de sua conta no Twitter que as negociações comerciais com a China já estão em andamento e sinalizou que elas poderão se prolongar por um período superior aos 90 dias inicialmente acordados durante a reunião do G20 em Buenos Aires, na Argentinano fim de semana passado.

"As negociações com a China já começaram. A menos que sejam estendidas, elas terminarão em 90 dias a partir da data de nosso maravilhoso e muito caloroso jantar com o Presidente Xi na Argentina", destacou Trump numa sequência de quatro tuítes sobre o tema.

Destacando o envolvimento do primeiro escalão do governo nas negociações, Trump comentou que verá se "um acordo real" será verdadeiramente possível.  De acordo com Trump, estarão à frente das negociações o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, o diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, o secretário do Comércio dos EUA, Wilbur Ross, e o assessor de Comércio, Peter Navarro.

Trump ainda ressaltou que a "China deve começar a comprar produtos agrícolas e mais imediatamente", mas complementou afirmando que o "presidente Xi e eu queremos que esse acordo aconteça, e ele provavelmente acontecerá".

E acrescentou: "Quando pessoas ou países vêm atacar a grande riqueza de nossa nação, eu quero que eles paguem pelo privilégio de fazê-lo. Será sempre a melhor maneira de maximizar nosso poder econômico. Estamos agora recebendo bilhões de dólares em tarifas."