Correio do Povo | Notícias | "Spinners" lideram lista da UE para produtos perigosos

Porto Alegre

11ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de Junho de 2018

  • 12/03/2018
  • 12:19
  • Atualização: 12:27

"Spinners" lideram lista da UE para produtos perigosos

Produtos identificados como perigosos vieram 53% da China

"Spinners" lideram lista da UE para produtos perigosos | Foto: Reprodução / CP

  • Comentários
  • AFP

A União Europeia registrou em 2017 mais de 2.000 avisos sobre produtos perigosos em seu sistema de alerta, 29% vinculados a brinquedos, como os populares "spinners", anunciou nesta segunda-feira a Comissão Europeia. "Os brinquedos, por exemplo, vários modelos dos populares 'fidget spinners', os automóveis e motocicletas, encabeçaram a lista de produtos perigosos detectados e retirados do mercado", afirmou o executivo da comunidade.

O relatório de 2017 do Sistema de Alerta Rápido sobre produtos perigosos não alimentares registrou um total de 2.201 alertas. Atrás dos brinquedos, os veículos a motor representaram 20% dos anúncios e as roupas, têxteis e artigos de moda 12%. Embora o relatório não especifique os produtos, destaca-se o "spinner", um brinquedo que, em 2017, "chamou a atenção de todos e que rapidamente tornou-se muito popular, ao proporcionar um método para reduzir a ansiedade".

O documento alerta o perigo para crianças pequenas da ingestão e asfixia, "particularmente os modelos com pilhas" e aqueles que possuem "pequenas peças facilmente removíveis". "Nestes casos, a intervenção hospitalar é necessária e urgente", acrescenta.

Os produtos identificados como perigosos vieram 53% da China (1.156 alertas), enquanto os de origem europeia representaram 26% (413 notificações): Alemanha (184), França (118), Itália (49), entre outros. Os alertas geraram "cerca de 4.000 ações de acompanhamento, como a retirada do mercado", de acordo com o executivo da comunidade. O site do Sistema de Alerta Rápido (ec.europa.eu/consumers/rapid-alert-system) atualiza semanalmente os produtos indicados pelos diferentes países. Em 2018, esse mecanismo já registrou 393 alertas, em 36% de brinquedos.