Correio do Povo | Notícias | Ex-guarda de Auschwitz é acusado de cumplicidade de assassinato

Porto Alegre

13ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de Julho de 2018

  • 16/04/2018
  • 09:18
  • Atualização: 09:26

Ex-guarda de Auschwitz é acusado de cumplicidade de assassinato

Homem afirma que não tinha conhecimento das etapas e do desenvolvimento dos crimes

Ex-guarda de Auschwitz é acusado de cumplicidade de assassinato | Foto: Janek Skarzynski / AFP / CP

Ex-guarda de Auschwitz é acusado de cumplicidade de assassinato | Foto: Janek Skarzynski / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Um ex-guarda SS do campo de extermínio de Auschwitz foi acusado de cumplicidade de assassinato - anunciou o Ministério Público da Alemanha nesta segunda-feira abrindo caminho para um julgamento do homem de 94 anos. Após décadas de inércia, a Justiça alemã iniciou uma corrida contra o tempo para condenar os ex-nazistas ainda vivos e que tiveram algum papel, inclusive subalterno, nos crimes da Alemanha nazista.

O acusado, que não foi identificado, serviu em 1942 e 1943 em Auschwitz-Birkenau, um período durante o qual pelo menos 15 trens de deportados chegaram ao local. Ao menos 13.335 das vítimas destas transferências foram enviadas às câmaras de gás logo que chegaram, segundo o comunicado da Promotoria de Stuttgart. O homem afirma que não tinha conhecimento das etapas e do desenvolvimento dos crimes.

Na época, ele tinha 19 anos e era menor de idade. Ele comparecerá ao tribunal de menores de Mannheim, mas uma data não foi estabelecida. Entre 1940 e 1945 quase 1,1 milhão de pessoas, 90% judeus, morreram no campo de Auschwitz-Birkenau.

A Alemanha julgou e condenou nos últimos anos vários ex-membros das SS por cumplicidade de assassinato, mas até agora nenhum foi para a prisão. Oskar Gröning, conhecido como "o contador de Auschwitz", morreu em março aos 96 anos, pouco antes de sua prisão. Em 2015, ele foi condenado a quatro anos de prisão por cumplicidade na morte de 300 mil judeus.