Correio do Povo | Notícias | Imprensa russa exibe testemunho sobre encenação de ataque químico na Síria

Porto Alegre

15ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 14 de Agosto de 2018

  • 19/04/2018
  • 10:33
  • Atualização: 10:50

Imprensa russa exibe testemunho sobre encenação de ataque químico na Síria

Menino de 11 anos que concedeu entrevista diz ter feito papel de vítima no atentado

Pai de menino entrevistado alega que equipes ofereceram comida para que população participasse da encenação | Foto: Reprodução / TV Rossya 24 / CP

Pai de menino entrevistado alega que equipes ofereceram comida para que população participasse da encenação | Foto: Reprodução / TV Rossya 24 / CP

  • Comentários
  • AFP

A Rússia exibiu na quarta-feira à noite o que apresentou como o testemunho de um menino sírio que afirmava ter participado na encenação de um suposto ataque químico na cidade síria de Duma em 7 de abril, o que poderia ser mostrado na ONU. Quase todos os meios de comunicação públicos russos comentavam nesta quinta-feira a entrevista, conduzida pela televisão pública Rossiya 24.

O vídeo pode ser mostrado aos membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas durante a sua próxima reunião como evidência da "manipulação" ligada a este suposto ataque, de acordo com o embaixador russo nas Nações Unidas, Vasili Nebenzia.

O ataque com "gás tóxico", que deixou pelo menos 40 mortos, de acordo com os serviços de resgate, motivou os bombardeios conjuntos dos Estados Unidos, França e Grã-Bretanha contra instalações do regime sírio e aumentou as tensões diplomáticas. Moscou e Damasco negam que as forças sírias realizaram um ataque químico em Duma e acusam os opositores do presidente Bashar al-Assad de organizar uma encenação.

Na reportagem, intitulada "A encenação da guerra", Rossiya 24 afirma que a criança, que é apresentada como Hassan Diab, de 11 anos, faz o papel de vítima de um ataque químico no vídeo, filmado segundo a televisão pelos Capacetes Brancos, as equipes de resgate em áreas rebeldes e que denunciaram o suposto ataque.

A AFP não pôde verificar as declarações de forma independente. A criança não diz nada sobre a possível presença de câmeras no lugar, mas um homem que Rossiya 24 apresenta como seu pai, Omar Diab, diz que "os combatentes deram tâmaras, bolos e arroz para participar nas filmagens".