Correio do Povo | Notícias | Regime sírio assume o controle de nova região na periferia de Damasco

Porto Alegre

11ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

  • 25/04/2018
  • 09:39
  • Atualização: 11:13

Regime sírio assume o controle de nova região na periferia de Damasco

Combatentes e civis foram levados para zonas rebeldes no norte do país

Regime sírio assume o controle de nova região na periferia de Damasco | Foto: Maher Al Mounes / AFP / CP

Regime sírio assume o controle de nova região na periferia de Damasco | Foto: Maher Al Mounes / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O regime sírio assumiu o controle de Qalamun Oriental, região próxima a Damasco, após a saída dos rebeldes, anunciou a imprensa estatal nesta quarta-feira, o que significa que o regime de Bashar Al-Assad consolidou sua presença nos arredores da capital. O processo de evacuação, imposto pelo regime, começou no sábado, nas localidades de Ruhaiba, Nasiriya e Yairud, em Qalamun Oriental, ao nordeste de Damasco.

Milhares de combatentes e civis foram levados para zonas rebeldes do norte da Síria. "Fim das operações de saída de terroristas e de suas famílias nas localidades de Qalamun Oriental. A região está livre do terrorismo", anunciou a TV pública síria em uma barra de informações, utilizando o termo aplicado pelo regime para designar os rebeldes.

Na terça-feira e quarta-feira, as forças de segurança entraram nas localidades de Ruhaiba e Yairud, onde a bandeira nacional foi hasteada. A ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) informou que o "último comboio" que deixou Qalamun Oriental, com centenas de combatentes e civis a bordo, chegou de madrugada aos territórios do norte, controlados por rebeldes pró-Turquia.

O anúncio coincide com a ofensiva que o regime de Assad executa contra o último reduto do grupo extremista Estado Islâmico (EI) na periferia sul da capital, depois de retomar dos rebeldes o reduto de Ghuta Oriental, também ao sul de Damasco.

Desde 2011, o conflito na Síria ganhou complexidade, com o envolvimento de grupos jihadistas e potências estrangeiras. A guerra deixou mais de 350 mil mortos e milhões de deslocados e refugiados.