Correio do Povo | Notícias | Rebeldes entregam armas ao regime no centro da Síria

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 14 de Agosto de 2018

  • 04/05/2018
  • 09:27
  • Atualização: 09:46

Rebeldes entregam armas ao regime no centro da Síria

Cerca de 1.650 pessoas deixaram a localidade nessa quinta-feira

Ônibus para retirada dos civis começou a chegar nesta sexta-feira | Foto: Rami al Sayed / AFP / CP

Ônibus para retirada dos civis começou a chegar nesta sexta-feira | Foto: Rami al Sayed / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Rebeldes no centro da Síria entregaram suas armas pesadas, nesta sexta-feira às forças do regime como parte de um acordo - informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Combatentes da rebelião e do governo de Bashar al-Assad chegaram a um acordo de cessar-fogo esta semana em áreas nas províncias centrais de Hama e Homs, incluindo Talbisse, Rastane e Al-Hula.

"Os combatentes estão entregando suas armas pesadas e médias às forças russas e do regime pelo segundo dia consecutivo", indicou o OSDH. "Assim que a entrega das armas acabar, os rebeldes que quiserem partir serão evacuados com os civis", disse à AFP o diretor da ONG, Rami Abdel Rahman.

Rebeldes e civis vão ter garantida uma passagem segura para a cidade rebelde de Jarablus, na província de Aleppo, e para a vizinha província de Idleb, que foge ao controle do governo, segundo a agência oficial de notícias Sana. O acordo também prevê o retorno das instituições governamentais a Talbissé, Rastane e Al-Hula, e a reabertura de uma estrada que liga Damasco a Aleppo, a segunda maior cidade do país, passando por Homs.

As áreas afetadas em Homs fazem parte das quatro "zonas de desescalada" acordadas há um ano pela Turquia, que apoia os rebeldes, pela Rússia e pelo Irã, que apoiam o regime de Bashar al-Assad. Uma dessas áreas, Ghuta Oriental, na periferia leste de Damasco, foi retomada em abril pelo regime após dois meses de combates que resultaram na evacuação forçada de rebeldes e civis da região.

Há semanas, o presidente Assad expande sua presença nos arredores da capital, graças a acordos de evacuação e a várias ofensivas. Jaïch al-Izza, uma das facções rebeldes em Homs, indicou, no entanto, que rejeitava o acordo, após vários dias de confrontos. Este é o terceiro acordo do gênero na província de Homs.

Milhares de pessoas já foram evacuadas da cidade homônima. Tais retiradas negociadas permitiram que o governo reassumisse o controle de várias regiões. Mas, segundo o geógrafo especialista na Síria Fabrice Balanche, a partida organizada de rebeldes corresponde a uma lógica de "substituição da população" impulsionada por Ancara.

A agência de notícias Sana também informou sobre a entrada de ônibus em Yalda, um distrito do sul de Damasco, e em Babila e Beit Saham, na periferia sul, para evacuar rebeldes e civis para áreas rebeldes no norte do país, igualmente ao abrigo de outro acordo. Trata-se do segundo dia de evacuações. Cerca de 1.650 pessoas deixaram a localidade na quinta-feira em vários ônibus e chegaram nesta sexta-feira de manhã ao norte da Síria, segundo o Observatório.