Correio do Povo | Notícias | República Democrática do Congo inicia vacinação contra o ebola

Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 18 de Novembro de 2018

  • 09/08/2018
  • 10:23
  • Atualização: 11:06

República Democrática do Congo inicia vacinação contra o ebola

País registra segundo surto da doença este ano

De acordo com a OMS, pelo menos 44 casos da doença foram notificados | Foto: Junior D. Kannah / AFP / CP

De acordo com a OMS, pelo menos 44 casos da doença foram notificados | Foto: Junior D. Kannah / AFP / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

O governo da República Democrática do Congo deu início à chamada vacinação em anel – destinada a populações consideradas de alto risco – na província de Kivu do Norte, atingida por um surto de ebola. A imunização começa uma semana após o anúncio do problema, o segundo registrado este ano no país.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), autoridades sanitárias locais e profissionais de saúde do distrito de Mangina foram os primeiros a receber a dose contra a doença. Muitos deles tiveram contato com pacientes que posteriormente receberam o diagnóstico do ebola. Segundo a entidade, pelo menos 44 casos da doença foram notificados na República Democrática do Congo. Desses, 17 foram confirmados até o momento.

“Vacinas são uma ferramenta importante na luta contra o ebola. É por isso que tem sido prioridade agilizar e organizar essas vacinas para proteger nossos trabalhadores da saúde e a população afetada”, defendeu o ministro da Saúde do país, Oly Ilunga.

A OMS informou que um total de 3.220 doses contra o ebola estão disponíveis na República Democrática do Congo e que doses adicionais já foram solicitadas. “O ebola é agressivo. Precisamos responder agressivamente. Iniciar a vacinação tão rápido é um passo-chave”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Guebreyesus.

Entenda

A vacinação em anel consiste em rastrear e imunizar todas as pessoas que tiveram contato direto com pelo menos um caso confirmado de ebola. A estratégia, conduzida pelo Instituto Nacional de Pesquisa Biomédica e pelo Ministério da Saúde congolês, em parceria com a própria OMS, a organização Médicos sem Fronteiras e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), é considerada vital para o controle da doença na região africana.


TAGS » Vacinação, Ebola, OMS