Correio do Povo | Notícias | Automóvel avança contra o Parlamento em Londres e deixa vários feridos

Porto Alegre

25ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

  • 14/08/2018
  • 07:27
  • Atualização: 07:43

Automóvel avança contra o Parlamento em Londres e deixa vários feridos

Homem detido é suspeito de atos terroristas

Automóvel avança contra o Parlamento em Londres e deixa vários feridos | Foto: Daniel Leal-Olivas / AFP / CP

Automóvel avança contra o Parlamento em Londres e deixa vários feridos | Foto: Daniel Leal-Olivas / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Vários pedestres ficaram feridos nesta terça-feira quando quando um veículo bateu nas barreiras de segurança do Parlamento britânico em Londres, anunciou a polícia, que prendeu o motorista e designou o Comando Antiterrorista para liderar a investigação. "Às 7H37 (3H37 de Brasília), um automóvel avançou contra as barreiras diante do Parlamento. O motorista foi detido pelos policiais presentes no local. Vários pedestres ficaram feridos", afirmou a polícia no Twitter. Poucos minutos depois, a polícia britânica informou que nenhuma das pessoas feridas corre perigo.

O homem detido é suspeito de atos terroristas. O Comando Antiterrorista da polícia assumiu a investigação, informou a Scotland Yard. "Apesar de mantermos a mente aberta, o Comando Antiterrorista da Polícia Metropolitana lidera a investigação sobre o incidente de #Westminster", anunciou a força de segurança no Twitter.

Toda a área do incidente foi isolada pelos agentes da polícia. Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o momento em que policiais fortemente armados cercaram o veículo de cor prata, do qual retiraram o motorista, que foi algemado. As ruas ao redor do Parlamento em Westminster foram fechadas. Outros vídeos mostram o momento exato da detenção do motorista.

Diversas viaturas da polícia e ambulâncias foram enviadas às proximidades do Parlamento, assim como o esquadrão antibombas e cães farejadores. A estação de metrô de Westminster também foi fechada. "Parecia um ato deliberado", afirmou Ewalina Ochab, que passava pela área no momento do incidente, à agência britânica Press Association. "Eu estava caminhando o outro lado. Ouvi um barulho e alguém gritou. Eu virei e vi um carro prata em alta velocidade e muito perto das barreiras, talvez sobre a calçada", disse. "A pessoa que dirigia o veículo não saiu", completou.

O Reino Unido foi cenário em 2017 de uma onda de atentados, quatro deles reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que deixaram 36 mortos e 200 feridos. Um dos ataques aconteceu em março na Ponte de Westminster, que leva ao Parlamento. O autor do atentado de março do ano passado, Khalid Masood, atropelou várias pessoas na ponte e avançou com o carro até as grades do Parlamento. Depois, Masood desceu do carro, entrou na área do Parlamento e esfaqueou até a morte um policial, antes de ser morto por outros agentes das forças de segurança.

Desde então uma barreira de segurança de cimento e aço foi foi instalada ao redor das grades do Parlamento e nas calçadas que levam à ponte.