Correio do Povo | Notícias | FBI adverte que paralisação do governo ameaça seu trabalho

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 19 de Janeiro de 2019

  • 10/01/2019
  • 16:32
  • Atualização: 16:48

FBI adverte que paralisação do governo ameaça seu trabalho

Agentes estão sem receber salário

Desde 22 de dezembro diversos institutos e instituições federais dos Estados Unidos estão sem funcionar, e seus funcionários, sem receber | Foto: Nicholas Kamm / AFP / CP

Desde 22 de dezembro diversos institutos e instituições federais dos Estados Unidos estão sem funcionar, e seus funcionários, sem receber | Foto: Nicholas Kamm / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O Escritório Federal de Investigação dos Estados Unidos (FBI) alertou nesta quinta-feira que a paralisação parcial do governo ameaça sua capacidade de investigar e manter o pessoal.

"Agentes especiais continuam a trabalhar para o povo americano sem cobrar, e a direção do FBI está fazendo tudo que pode para financiar as operações do FBI com recursos cada vez mais limitados. Esta situação é insustentável", disse a Associação de Agentes do FBI (FBIAA) em comunicado, acrescentando: "O importante trabalho que o escritório faz precisa de financiamento imediato".

• Trump vai à fronteira com México para defender projeto de muro

A associação representa cerca de 13 mil agentes especiais ativos do FBI, que investiga desde crimes violentos e crimes financeiros até espionagem e terrorismo. O FBIAA alertou em uma petição à Casa Branca e aos líderes do Congresso que as finanças dos agentes podem sofrer prejuízos se não receberam seus salários até 11 de janeiro.

• Muro virtual na fronteira com o México pode ser alternativa para impasse nos EUA

"A falta de pagamento pode atrasar a obtenção e a renovação das autorizações de segurança e, em alguns casos, pode até impedir que os agentes continuem fazendo seu trabalho", disse ele. "A insegurança causada pela falta de financiamento do FBI pode levar alguns agentes do FBI a considerar outras opções de carreira que darão às suas famílias mais estabilidade", acrescentou.

O "shutdown" começou em 22 de dezembro, depois que o presidente americano, Donald Trump, rejeitou um projeto de lei orçamentário que não incluía seu pedido de mais de 5 bilhões de dólares para construir um muro ao longo da fronteira do país com o México.