Correio do Povo | Notícias | Temer é recebido com protesto em Roraima

Porto Alegre

10ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 25 de Maio de 2018

  • 12/02/2018
  • 16:00
  • Atualização: 17:16

Temer é recebido com protesto em Roraima

Cerca de 300 pessoas se reuniram em frente ao local onde presidente está reunido com governadora Suely Campos

Michel Temer está em Roraima reunido com a governadora Suely Campos para tratar da questão da entrada de venezuelanos no estado | Foto: Beto Barata / PR / CP

Michel Temer está em Roraima reunido com a governadora Suely Campos para tratar da questão da entrada de venezuelanos no estado | Foto: Beto Barata / PR / CP

  • Comentários
  • AE

O presidente Michel Temer está em Roraima reunido no Palácio senador Helio Campos com a governadora Suely Campos para tratar da questão da entrada de venezuelanos no estado, que se agravou depois da decisão da última semana da Colômbia de fechar a sua fronteira com a Venezuela para impedir a entrada dos vizinhos.

Cerca de 300 integrantes ligados aos movimentos sindicais em Roraima protestaram em frente ao Palácio contra a privatização de empresas como a Eletrobras, que tem milhares de servidores no estado, e a falta de políticas do governo federal para Roraima, que sofre com apagões constantes por não estar ligado ao Sistema Energético Nacional, além da imigração desordenada de venezuelanos que já chegam a 10% da população do estado. A área externa do Palácio Senador Hélio Campos foi isolada e o acesso restrito a convidados e pessoas previamente credenciadas.

A questão dos venezuelanos será um dos principais assuntos da reunião, que ocorre cinco dias após a visita dos ministros da Justiça, Torquato Jardim; da Defesa, Raul Jungmann; e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Sérgio Westphalen, que vieram a Roraima tratar do mesmo assunto.

Os três fazem parte da comitiva que acompanha o presidente da República, que conta ainda com o general Fernando Azevedo e Silva, Chefe do Estado-Maior do Exército; o secretário Nacional de Justiça, Rogério Galloro; o diretor-geral da Agência Brasileira de Informação (Abin), Janér Alvarenga; o almirante Alexandre Mota, da Secretaria Nacional de Segurança Pública; o senador Romero Jucá (MDB-RR) e o deputado federal Hiran Gonçalves.