Correio do Povo | Notícias | Estudantes protestam pela morte de jovem próximo a Unisinos

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 20 de Novembro de 2018

  • 12/11/2015
  • 20:23
  • Atualização: 20:45

Estudantes protestam pela morte de jovem próximo a Unisinos

Após missa, grupo percorreu a região pedindo mais segurança

Jovens percorreram a região pedindo segurança | Foto: Stephany Sander / Especial CP

Jovens percorreram a região pedindo segurança | Foto: Stephany Sander / Especial CP

  • Comentários
  • Stephany Sander

A tarde desta quinta-feira foi marcada por homenagens e protestos pela morte do estudante universitário Frederico de Almeida, em São Leopoldo. Ele foi assassinato na noite de quinta-feira passada, próximo a Unisinos, quando saia de um bar, depois da aula. O jovem, de 22 anos, que cursava geologia, foi morto a tiros no final da noite dessa quinta-feira em frente a Unisinos em São Leopoldo, no Vale do Sinos. De acordo com a Brigada Militar (BM), Frederico de Almeida, aluno da universidade, foi atingido por três disparos na rua Padre Luiz Gonzaga.

A direção da universidade realizou uma missa de sétimo dia para o jovem, por volta das 18h, que lotou o andar térreo da biblioteca. Após o ato, cerca de 150 estudantes realizaram uma caminhada, no entorno do Campus, bloqueando o trânsito nos dois sentidos da Avenida Unisinos, por cerca de 15 minutos.

Vestidos de preto e com alguns cartazes, os estudantes pediam por mais segurança principalmente nos acessos a Unisinos, que segundo eles, é um ponto de atuação constante de bandidos.

"Temos registros de assaltos aos alunos em plena luz do dia nas paradas de ônibus, e nos portões de acesso a universidade. Queremos mais policiamento por parte da Brigada Militar e Guarda Municipal", explicou a estudante Maria Luísa Nichele, do curso de Relações Públicas.

Nichele foi a fundadora do “Unisinos Mais Segura”, grupo criado nas redes sociais e que culminou na realização da manifestação. “Sei que a comunicação pode transformar realidades. O evento nasceu da minha revolta com a banalização da violência e da vida. O ‘Unisinos Mais Segura’ está aqui para que o assunto não seja esquecido”, frisou a organizadora.

Através de sua assessoria de imprensa, a Unisinos afirma que se sensibilizou com a iniciativa da aluna em chamar a atenção da comunidade acadêmica para o ocorrido com Frederico. A gerente de Atenção ao Aluno da universidade, Carmem Copetti, ressalta: “É importante que a gente se permita parar um tempo para refletir sobre o acontecimento e apoiar a família neste momento de dor”.

Representantes da instituição tem participado de reuniões com a administração municipal e o governo do Estado, a fim de planejar e executar ações que garantam mais segurança para os universitários.