Correio do Povo | Notícias | Imóveis ocupados por traficantes serão devolvidos aos moradores, diz delegado

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 20 de Novembro de 2018

  • 16/05/2017
  • 12:31
  • Atualização: 13:31

Imóveis ocupados por traficantes serão devolvidos aos moradores, diz delegado

Polícia realizou operação em condomínio popular ocupado por criminosos na Restinga

A Polícia Civil elaborou um mapa de todo o condomínio Ana Paula, no bairro Restinga, de quais apartamentos foram ocupados por traficantes | Foto: Alina Souza

A Polícia Civil elaborou um mapa de todo o condomínio Ana Paula, no bairro Restinga, de quais apartamentos foram ocupados por traficantes | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Correio do Povo

Após a prisão de uma mulher na Operação Regresso da Polícia Civil, que foi deflagrada na manhã desta terça-feira, o diretor de investigação do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), o delegado Mário Souza, afirmou que os imóveis ocupados pelos traficantes serão devolvidos aos seus moradores por direitos. "Se os traficantes retornarem ao condomínio, o Denarc vai atuar de novo. É injusto que tomem esses imóveis. Vamos agir na raiz do problema”, assegurou.

O condomínio popular Ana Paula, do programa federal Minha Casa, Minha Vida, no bairro Restinga em Porto Alegre, foi tomado por uma quadrilha de traficantes que expulsava moradores e usava o local para ponto de vendas ou depósito de entorpecentes. 

Para o delegado Guilherme Calderipe, a ideia é que instituições como Ministério Público, Defensoria Pública e Prefeitura de Porto Alegre participem conjuntamente do processo de impedir que os traficantes reocupem os imóveis. “É uma ação diferente da Polícia Civil, mas muito útil e importante para sociedade”, enfatizou. O trabalho investigativo prosseguirá para capturar integrantes da quadrilha.

De acordo com delegado Calderipe, o objetivo dos criminosos era “ter o domínio territorial da quadrilha no condomínio”. Segundo ele, a operação Regresso é a primeira de uma série de ações pontuais que serão desencadeadas pelo Denarc em todos os condomínios populares onde traficantes tenham expulsado os moradores. “Em um dos imóveis que cumpri busca, a moradora não era a proprietária e se desesperou, mas ela se beneficiou da ação do tráfico de drogas”, observou, não descartando que os próprios criminosos tenham efetuado a venda para a mulher.

O delegado Guilherme Calderipe destacou o monitoramento durante o trabalho investigativo, sendo elaborado inclusive um mapa de todo o condomínio Ana Paula, com indicação de quais apartamentos eram utilizados.

A operação Regresso mobilizou cerca de 100 agentes que cumpriram 21 mandados de busca e apreensão no conjunto residencial formado por 416 imóveis, distribuídos em 26 blocos com quatro andares em cada. As ordens judiciais foram executadas em 21 apartamentos, sendo constatada a presença de moradores irregulares em 11 unidades, muitos suspeitos de serem de confiança dos criminosos. Outros imóveis foram encontrados vazios e serviriam como pontos de venda ou depósitos de entorpecentes. No entanto, não foram encontradas drogas nesses locais e nem ocorreram prisões.

A ação deflagrada foi considerada como uma nova fase decorrente da megaoperação Gênesis, ocorrida em outubro de 2015 com a participação de 652 agentes que cumpriram desde então 100 mandados de busca e apreensão e outros 43 de prisão temporária, sendo presos 62 criminosos.