Correio do Povo | Notícias | Delegado busca provas técnicas e aguarda prorrogação de prazo

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de Julho de 2018

  • 11/01/2018
  • 18:15
  • Atualização: 18:27

Delegado busca provas técnicas e aguarda prorrogação de prazo

Delegacias trabalham em conjunto para esclarecer mortes de crianças em Novo Hamburgo

Delegacias trabalham em conjunto para esclarecer mortes de crianças em Novo Hamburgo | Foto: Álvaro Grohmann / Especial / CP

Delegacias trabalham em conjunto para esclarecer mortes de crianças em Novo Hamburgo | Foto: Álvaro Grohmann / Especial / CP

  • Comentários
  • Jessica Hübler

O titular da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo, delegado Rogério Baggio, afirmou que está em busca de provas técnicas sobre o envolvimento dos suspeito no crime de assassinato e esquartejamento de duas crianças naquela cidade. “Solicitei diversas autorizações judiciais e também perícias que não haviam sido solicitadas ainda. Precisamos de provas incontestáveis”, afirmou.

Uma das autorizações judiciais solicitada pelo delegado foi feita com o objetivo de ter acesso a todos os arquivos dos celulares apreendidos. “Se for autorizado, vamos realizar uma perícia para ter acesso a fotos, conversas, áudios e vídeos que estão no aparelho ou que já foram apagados”, detalhou.

Conforme Baggio, uma prova incontestável seria, por exemplo, localizar o sangue de alguma das duas crianças na capa que foi apreendida no templo. “Se for encontrado sangue de alguma das crianças na capa, está comprovado que teve uma ligação”, ressaltou. “Estou na busca dessas provas.”

A prorrogação de prazo para a finalização do inquérito policial já foi solicitada por Baggio. Segundo ele, é possível que o retorno da Justiça sobre a possibilidade de prorrogração seja informado a ele no final da tarde de hoje. “É necessário prorrogar o prazo, não é qualquer crime e não é qualquer acusação. Se eles são culpados, que respondam por isso”, destacou.

Sobre as afirmações da defesa do suposto bruxo, Baggio enfatizou que um advogado dizer que uma investigação não possui provas “é o papel da defesa”. “Para se decretar uma prisão temporária, é necessário ter indícios. Para uma prisão preventiva, precisamos apresentar prova da materialidade e indícios de autoria. Ambas foram decretadas pelo Poder Judiciário, então nós temos estas provas. Foi o suficiente para as medidas adotadas até agora”, explicou.

Agora, de acordo com Baggio, a Polícia Civil precisa desvendar o fato. “Eu não quero culpar ninguém. Se for descoberto que eles não têm envolvimento, vou colocar isto no meu relatório. Se eles foram os responsáveis, também estará lá”, disse.

Baggio enfatizou que até o momento não há nenhuma novidade na investigação. “Por enquanto não temos novas provas e também não tivemos novas prisões. Estamos realizando diligências diariamente, através de duas delegacias, com o objetivo de buscar ainda mais provas para o caso”, informou. Estamos divididos em duas delegacias, trabalhando em conjunto.

Delegado Fermino segue na investigação

O delegado Moacir Fermino, que substituiu Baggio durante as férias, ainda participa das investigações: “Algumas informações só estão repassando para ele, por questão de confiança. Então ele continua auxiliando nesse sentido e continua fazendo diligências para comprovar todas as informações que chegam”.

O trabalho do titular da Delegacia de Homicídios segue uma linha mais técnica. “Não estou julgando o trabalho de ninguém, mas até o momento temos uma prova testemunhal e diversos indícios. Foram apreendidos documentos, fotografias e outros materiais que corroboram com as informações repassadas. Agora precisamos de provas técnicas incontestáveis para finalizar o inquérito”, disse.