Correio do Povo | Notícias | Dono de pizzaria é preso por ameaçar funcionários em caso de jovens mortos

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 17 de Novembro de 2018

  • 26/04/2018
  • 13:29
  • Atualização: 14:36

Dono de pizzaria é preso por ameaçar funcionários em caso de jovens mortos

Crime foi cometido pelo segurança do restaurante

Proprietário da pizzaria será indiciado por falso testemunho e coação de testemunhas | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

Proprietário da pizzaria será indiciado por falso testemunho e coação de testemunhas | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O proprietário de uma pizzaria de Alvorada foi preso, nesta quinta-feira, por coagir e ameaçar seis funcionários durante investigação da morte de dois jovens, cometida pelo segurança do restaurante. Os homens foram assassinados a tirosna noite do dia 25 de março, durante discussão com o funcionário do local sobre a quantidade de sachês de catchup que os amigos haviam pegado da pizzaria.

De acordo com a Polícia Civil, o dono da pizaria ameaçou seus funcionários para que negassem o vínculo empregatício do segurança. “Ele fez uma reunião um dia após o homicídio para orientar os funcionários a mentirem”, explicou o delegado Edimar Machado, observando que depois alguns empregados contaram a verdade aos policiais civis.

Para ele, o comerciante pretendia livra-se da responsabilidade civil, mas acabou envolvido na esfera criminal. “Ele piorou a situação dele”, ressaltou. Além de falso testemunho, o dono da pizzaria deve ser indiciado por coação de testemunhas. O segurança foi capturado quatro dias depois do crime e permanece detido no sistema carcerário.

O caso

Na noite de 25 de março, cinco jovens foram até o restaurante e solicitaram uma pizza para levar. Quando saíam do local, os amigos teriam pegado alguns sachês de catchup. O grupo teria então sido seguido pelo segurança até onde haviam deixado o carro estacionado. O homem teria alegado que eles não poderiam levar os condimentos. Durante a discussão, ele teria sacado a arma e disparado contra o grupo.

Três jovens foram baleados e encaminhados ao Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre. Dois deles não resistiram aos ferimentos e morreram. O terceiro ficou em estado grave. Um outro teria ainda sido atingido por uma coronhada na cabeça, mas passa bem. E o quinto não ficou ferido. De acordo com o delegado Edimar Machado, o caso é um “homicídio por motivos fúteis”. Os jovens não tinham antecedentes criminais.