Correio do Povo | Notícias | Prefeito do Norte do RS é investigado por pedofilia

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 22 de Maio de 2018

  • 15/05/2018
  • 08:33
  • Atualização: 16:55

Prefeito do Norte do RS é investigado por pedofilia

MP cumpre mandados de busca e apreensão no gabinete da prefeitura e nas duas residências do político

MP cumpre mandados na prefeitura e nas residências do prefeito  | Foto: Ministério Público / Divulgação / CP

MP cumpre mandados na prefeitura e nas residências do prefeito | Foto: Ministério Público / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O prefeito de Planalto, no Norte do Rio Grande do Sul, é alvo de uma operação contra pedofilia desencadeada nesta terça-feira Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS). O político é investigado por oferecer R$ 1 mil a uma menina, de 13 anos, para que tivesse relações sexuais com ele.

São cumpridos três mandados de busca e apreensão no gabinete do prefeito e em suas duas residências. A ação é realizada pela Procuradoria de Prefeitos, com apoio do Grupo de Operações Especiais de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Brigada Militar.

Na denúncia, a menina ainda disse que o prefeito mostrou para ela fotos e vídeos de outras jovens nuas, inclusive de pessoas de Planalto. Ele teria ainda tentando molestar a jovem, o que configura crime de estupro de vulnerável.

As buscas têm o objetivo de confirmar a existência desse material e também de uma eventual participação do político em outros abusos envolvendo menores de idade. O crime foi denunciado pelos pais da criança ao Conselho Tutelar e Polícia Civil. Após a denúncia, o prefeito teria marcado encontro com eles em local ermo para tentar convencê-los de retirar a representação.

Além dos mandados de busca e apreensão, a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça proibiu o contato do investigado com a vítima e os pais dela, por qualquer meio, seja pessoalmente ou por terceiros, ou mesmo por meios eletrônicos ou telefônicos, além de guardar distância mínima de 200 metros da ofendida e familiares. Ele também está proibido de se ausentar da Comarca de Planalto sem autorização judicial.

A reportagem tenta contato com o prefeito, que até a publicação da matéria não atendeu as ligações.

Foto: MP-RS / Divulgação / CP