Correio do Povo | Notícias | Assembleia Legislativa instala Frente Parlamentar de Segurança Pública

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Outubro de 2018

  • 09/08/2018
  • 14:17
  • Atualização: 14:43

Assembleia Legislativa instala Frente Parlamentar de Segurança Pública

Iniciativa será permanente e terá subcoordenadorias regionais em todo Estado

Iniciativa será permanente e terá subcoordenadorias regionais em todo Estado | Foto: Guerreiro / Agência ALRS / CP

Iniciativa será permanente e terá subcoordenadorias regionais em todo Estado | Foto: Guerreiro / Agência ALRS / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Frente Parlamentar de Segurança Pública foi instalada na manhã desta quinta-feira em solenidade realizada no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre. Idealizada junto com a deputada Any Ortiz (PPS), o deputado estadual Ronaldo Santini (PTB) preside a iniciativa que será permanente e terá subcoordenadorias regionais, atingindo todo o RS. “A segurança pública precisa ter um debate permanente e que produza resultados práticos na vida das pessoas. Não podemos apenar criar legislações e apresentar ideias maravilhosas se elas não produzirem efeitos práticos na rua”, declarou.

“A segurança pública deve ser uma política de Estado, nunca uma política de Governo. É fundamental que assim seja”, lembrou, referindo-se à descontinuidade de ações na área a cada troca de governante. “A Frente Parlamentar vai agir nesse sentido: debate permanente, constante discussão sempre com a sociedade e órgãos de segurança para devolver aos gaúchos a tranquilidade de andar pelas ruas de nossas cidades”, assegurou. Ele adiantou que a votação do projeto de lei que cria um programa de incentivo à segurança pública, mediante compensação de ICMS em troca do reaparelhamento direto das forças policiais, será “o primeiro teste de fogo e fidelidade da Frente Parlamentar”. A matéria poderá ser votada na próxima semana.

O deputado estadual Ronaldo Santini disse ainda que a Frente Parlamentar de Segurança Pública buscará experiências exitosas em outros lugares, trabalhará pela integração de todas as instituições da área, será um canal de demanda da própria sociedade, vai propor sugestões, fiscalizará a execução das leis para o setor e realizará diagnósticos da situação, entre outras atividades. “O maior problema hoje é a falta de efetivo policial”, antecipou.

Ele afirmou também que é preciso discutir “a verdadeira causa da criminalidade” ao invés de ser tratada apenas da prisão dos autores. Citou o caso do tráfico de drogas. “Prendemos, prendemos, prendemos...e não tratamos do problema. Temos prisões constantes por uso e tráfico de drogas, mas quando começar a tratar a política de combate à drogadição de verdade seja através das fronteiras, evitando que a droga entre, seja através do tratamento da dependência química. Não adianta prender o traficante se o consumidor vai continuar ali...”, enfatizou.

Presente na cerimônia, o secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, considerou positiva a iniciativa por “trabalhar com a integração e soma de esforços”. Já o Chefe de Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, destacou que “através de uma frente parlamentar, assuntos que muitas vezes passam desapercebidos em outros ambientes de discussão podem ter um relevo e atenção maior por que aos deputados representam a sociedade gaúcha”.

Para o Chefe do Estado-Maior da Brigada Militar, coronel Júlio César Rocha Lopes, a BM “vê com muitos bons olhos por que vem a somar e ajudar os órgãos policiais no combate à criminalidade, trazendo ideias e debates juntamente com a população, trazendo muitas demandas de todo o RS”. O superintendente regional da Polícia Rodoviária Federal, inspetor João Francisco Ribeiro de Oliveira, manifestou entusiasmo com a iniciativa. “É mais uma ferramenta que o parlamento coloca à disposição não só dos profissionais da segurança pública mas da sociedade que cada vez mais clama por integração e mais resultado”, frisou.