Correio do Povo | Notícias | Associação dos Oficiais da BM critica criação da Força Gaúcha

Porto Alegre

31ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 13 de Novembro de 2018

  • 21/08/2018
  • 13:51
  • Atualização: 13:57

Associação dos Oficiais da BM critica criação da Força Gaúcha

Inspirada no modelo da Força Nacional, tropa será formada por servidores da segurança ativos e inativos

Tropa será coordenada pela Secretaria de Segurança Pública | Foto: Guilherme Testa / CP Memória

Tropa será coordenada pela Secretaria de Segurança Pública | Foto: Guilherme Testa / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Associação dos Oficiais da Brigada Militar (ASOFBM) manifestou preocupação com a criação da Força Gaúcha de Pronta Resposta que deve entrar em breve em atividade. “Não entendemos como adequada”, resumiu o presidente da entidade, coronel Marcelo Gomes Frota, lembrando que já existem batalhões e pelotões de operações especiais que atuam de prontidão.

De acordo com ele, a portaria de número 115, que cria a Força Gaúcha, não foi discutida com as entidades de classe e profissionais da segurança pública. “Essa portaria não foi bem recebida no seio dos oficiais da BM”, avaliou, assinalando que a atuação da Força Gaúcha ocorrerá mediante determinação e coordenação direta do secretário estadual da Segurança Pública.

Para o coronel da reserva Frota, o emprego de policiais aposentados, com mais de 50 anos de idade, também é preocupante. “Seriam colocados para fazer um enfrentamento com criminosos violentos”, afirmou, citando como exemplo as quadrilhas de assaltos a bancos e os traficantes de drogas em guerra.

O presidente da ASOFBM entende que a criação da Força Gaúcha precisa ser verificada inclusive do ponto de vista jurídico da legalidade e responsabilidade. “Ela não é uma instituição e organismo policial”, disse. “Realmente é um projeto que precisa ser melhor visto e estudado”, enfatizou, sugerindo o adiamento do lançamento da Força Gaúcha para que ocorra um diálogo com as entidades de classe.