Correio do Povo | Notícias | Polícia vai usar câmeras de segurança para tentar identificar atiradores de Canoas

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Setembro de 2018

  • 01/09/2018
  • 16:25
  • Atualização: 17:16

Polícia vai usar câmeras de segurança para tentar identificar atiradores de Canoas

Três homens foram mortos e uma mulher ficou ferida no bairro Mathias Velho

Três homens foram mortos durante ataque em Canoas | Foto: Guilherme Testa

Três homens foram mortos durante ataque em Canoas | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Claudio Isaias

A Polícia Civil espera identificar nas imagens de câmeras de segurança os dois homens que efetuaram pelo menos 50 disparos contra quatro pessoas na manhã deste sábado em uma lancheria no bairro Mathias Velho, em Canoas, na região Metropolitana de Porto Alegre. Três homens foram mortos e uma mulher ficou ferido durante o ataque.

O crime aconteceu na avenida Rio Grande do Sul, 3.581,uma via de grande movimento de pessoas na região. A mulher ferida foi levada para atendimento. Segundo a Brigada Militar, dois homens desceram de um veículo Renault Clio preto e fizeram pelo menos 50 disparos contra as quatro pessoas que realizavam um lanche no estabelecimento comercial Gula Burguer. Conforme o relato de testemunhas à Brigada Militar, um terceiro participante do triplo assassinato ficou esperando no carro.

No momento do crime, era intenso o movimento de pedestres no comércio das redondezas - o local possui um supermercado, um atacadão de frutas e verduras e uma farmácia. As vítimas chegaram na lancheria em um automóvel Logan, que pertenceria a Evaldo Raimundo Júnior, 48 anos. Uma quinta pessoa, que estava dormindo noautomóvel, filho de Evaldo, não foi vista pelos atiradores que entraram na lancheria. O triplo homicídio chamou a atenção dos moradores do bairro Mathias Velho que ficaram na frente da lancheria para acompanhar o trabalho dos técnicos do Instituto-Geral de Perícias (IGP). A Brigada Militar e a Polícia Civil estiveram no local para conversar com as testemunhas. Familiares das vítimas foram até o local e se desesperaram ao saber das mortes. O grupo, segundo a polícia militar, residia no bairro Rio Branco, em Canoas. Ainda não se sabe a motivação do crime.

O caso será investigado pela equipe do delegado Luís Antônio Firmino, titular da Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP). O que vai ajudar no trabalho da investigação policial é que a região possui diversas câmeras de videomonitoramento. As vítimas foram identificadas pela Brigada Militar como Evaldo Raimundo Júnior, 48 anos, seu filho, Bruno Agertt Raimundo, de 23 anos, e Diogo Vieira da Fonseca, 24 anos.