Correio do Povo | Notícias | SSP-RS divulga balanço final da Operação Fronteira Sul

Porto Alegre

25ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de Novembro de 2018

  • 03/09/2018
  • 18:26
  • Atualização: 19:00

SSP-RS divulga balanço final da Operação Fronteira Sul

Ação que integra Secretaria e Comando Miltar combate crime nas regiões de fronteira

Operação contou com efetivo de 892 servidores nas regiões Norte e Noroeste do Estado | Foto: Alina Souza

Operação contou com efetivo de 892 servidores nas regiões Norte e Noroeste do Estado | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Jessica Hübler

O Comando Militar do Sul (CMS) e a Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS) apresentaram, nesta segunda-feira, o balanço final da Operação Fronteira Sul, uma ação integrada que teve como objetivo unir diversos órgãos da Segurança para combater o crime nas fronteiras.

Com a atuação de um efetivo de 892 servidores nas regiões Norte e Noroeste do Estado entre 30 de agosto e 1º de setembro, foram efetuadas 51 prisões e oito veículos recuperados, além da apreensão de 22 armas de fogo, 12,6kg de explosivos, 16,4kg de maconha e porções de crack e cocaína, além de 208,5kg de alimentos impróprios para o consumo. Os principais crimes combatidos foram o tráfico de drogas e o porte ilegal de arma de fogo.

A ação também contou com a participação da Brigada Militar, Polícia Civil, Agência Brasileira de Inteligência, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis, Receita Federal e Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Foram realizadas ações militares preventivas, repressivas e ostensivas; operações de inteligência; patrulhamento terrestres e fluviais; revista em pessoas, veículos e embarcações; intensificação da fiscalização de produtos controlados.

De acordo com o general de Brigada do Exército Brasileiro e chefe do Centro de Coordenação de Operações do CMS, Carlos José Penteado, os locais foram escolhidos com base no levantamento das áreas de inteligência de todos os órgãos envolvidos. “As Forças Armadas ficaram, particularmente restritos à área de fronteira e os outros órgãos, junto conosco em todos os momentos e também executando ações em profundidade, em cima de grandes eixos”, afirmou.

Segundo ele, o máximo da capacidade de cada um dos órgãos foi aplicada durante a atuação. “Nós saturamos a área com um choque de segurança”, enfatizou o general, declarando que as operações neste formato devem continuar. Para o secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, o espírito de cooperação entre as instituições está se fortalecendo. “É um exemplo notável de soma de esforços, quando se coloca o interesse do País acima de qualquer questão, os ganhos são notáveis”, ressaltou.

A Operação Fronteira Sul, conforme Schirmer, se caracterizou pela mobilidade. “Não foi uma ação estática, teve uma abrangência regional significativa. Estávamos ao mesmo tempo em vários pontos do Estado”, disse. De acordo com Schirmer, o medo precisa mudar de lado. “Alcançamos plenamente os objetivos desejados e se tudo der certo vamos continuar com estas operações, com grande benefício para a Segurança Pública”, destacou.