Correio do Povo | Notícias | Após prisão no Paraná, RS não descarta retorno de Papagaio ao Estado

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Setembro de 2018

  • 11/09/2018
  • 13:52
  • Atualização: 14:09

Após prisão no Paraná, RS não descarta retorno de Papagaio ao Estado

Criminoso, armamento e farta munição foram apreendidos em Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba

Armamento apreendido na chácara onde Papagaio foi preso  | Foto: Polícia Militar do Paraná / Divulgação / CP

Armamento apreendido na chácara onde Papagaio foi preso | Foto: Polícia Militar do Paraná / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, disse que está em contato com autoridades paranaenses para acompanhar os desdobramentos da captura do assaltante de carro-forte e banco Claudio Adriano Ribeiro, o Papagaio. Em tese, o criminoso permanece no Estado onde foi preso e está sendo processado e julgado. No entanto, a possibilidade de Papagaio ser enviado de volta ao Rio Grande do Sul não é afastada.

Caso Papagaio retorne ao RS, o secretário Cezar Schirmer não descartou que seja enquadrado no âmbito da Operação Pulso Firme, sendo então solicitada a transferência do mesmo ao sistema penitenciário federal devido ao grau de periculosidade e articulação. Nesse sentido, o Chefe de Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, também considerou a possibilidade de incluir Papagaio na operação Pulso Firme caso venha para o RS.

 

Foto: Polícia Militar do Paraná / Divulgação / CP

Considerado um dos principais assaltantes de carro-forte e banco do RS, Papagaio foi preso na madrugada desta terça-feira pela Polícia Militar no município de Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná. Além dele, outros três criminosos foram presos em uma chácara na estrada Ari Buhrer Machado, no bairro Leão. Houve a apreensão de armamento pesado e farta munição, além de apetrechos e material usado em ataques.

Papagaio estava foragido desde dezembro do ano passado quando não se apresentou no Patronato Lima Drummond da Superintendência dos Serviços Penitenciários em Porto Alegre. Ele cumpriu pena em regime semiaberto por apenas quatro meses após ter ficado no regime fechado desde 2011. Papagaio já figurou na década de 1990 na lista dos criminosos mais perigosos do Rio Grande do Sul. Com pena de 52 anos e três meses de prisão, o criminoso já fugiu seis vezes do sistema carcerário, tendo sido o primeiro a escapar da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) em 1999. Na manhã de 6 fevereiro deste ano, Papagaio participou do ataque ao carro-forte da Brinks no km 198 da BR-470, próximo à ponte do Rio das Antas, em Bento Gonçalves, na Serra.

Munida de mandado judicial, o efetivo do 17ºBPM do Paraná efetuou a prisão de Papagaio e dos três cúmplices dentro da residência da chácara. No local os policiais militares apreenderam uma metralhadora ponto 50 capaz de derrubar até uma aeronave; um fuzil AK-47 calibre 5,56; um fuzil calibre 7,62; um fuzil calibre 2,23 e além de 14 carregadores e mais de 415 cartuchos de munição de todas as armas, sete toucas ninjas, 16 placas e quatro capas de coletes balísticos e dois radiocomunicadores. Uma mochila com explosivos, miguelitos, lanternas, luvas e três conjuntos de placas automotivas também foram recolhidos. Havia também um Fiat Uno e, para surpresa dos policiais militares, uma Pajero Mitsubishi dotada de blindagem e preparada para receber a metralhadora ponto 50. A caminhonete tinha dois furos no vidro traseiro para permitir os disparos da arma. A ocorrência foi repassada ao Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) da Polícia Civil do Paraná.

Na véspera do desmantelamento da quadrilha, duas tentativas de roubo a carros-fortes havia sido registradas no Paraná, sendo uma na cidade de Ortigueira e outra entre os municípios de Ponta Grossa e Palmeira. As autoridades locais vão tentar agora apurar se os ataques foram cometidos pelo bando. 

Veja onde fica Agudos do Sul