Correio do Povo | Notícias | Diretor do Dnit será novo ministro dos Transportes do governo Temer

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 16 de Dezembro de 2018

  • 28/03/2018
  • 19:48
  • Atualização: 20:20

Diretor do Dnit será novo ministro dos Transportes do governo Temer

Valter Casimiro Silveira substituirá Maurício Quintella por indicação do PR

Valter Casimiro Silveira substituirá Maurício Quintella por indicação do PR | Foto: Dnit / Divulgação CP

Valter Casimiro Silveira substituirá Maurício Quintella por indicação do PR | Foto: Dnit / Divulgação CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

Em reunião realizada nesta quarta-feira no Palácio do Planalto, foi definido o nome de Valter Casimiro Silveira, atual diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), como substituto do ministro dos Transportes, Maurício Quintella. Ele entregou  a carta de demissão ao presidente Michel Temer e pediu para que sua exoneração ocorresse na quinta, após a cerimônia de inauguração do novo aeroporto de Vitória, no Espírito Santo.

O nome de Silveira foi uma indicação do PR. Também haverá mudança na secretaria-executiva do ministério. O novo secretário será Helbert Drummond, atual secretário de Política e Integração. Tanto Silveira quando Drummond estiveram reunidos com Temer junto com Quintella e o deputado José Rocha (PR/BA).

O ministro teria que deixar o cargo até o dia 7 de abril, prazo definido para desincompatibilização de quem ocupa cargos públicos para concorrer nas eleições de outubro. Ricardo Barros, da pasta da Saúde, e Paulo Rabello de Castro, presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), oficializaram na terça-feira a saída do governo, em respeito ao calendário eleitoral.

Outras saídas são esperadas por causa das eleições. Dentre elas está o ministro do Turismo, Marx Beltrão, que deixará o governo depois do feriado, assim como o ministro da Educação, Mendonça Filho, que sairá dia 5 de abril. Os ministros do Desenvolvimento Social, Osmar Terra; de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho; da Integração Nacional, Helder Barbalho; e Esportes, Leonardo Picciani, também devem sair de suas pastas até 7 de abril. Também há expectativa sobre a decisão do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.