Correio do Povo | Notícias | PT pretende levar candidatura de Lula até o fim, diz Nelson Jobim

Porto Alegre

8ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de Maio de 2018

  • 11/05/2018
  • 12:26
  • Atualização: 12:35

PT pretende levar candidatura de Lula até o fim, diz Nelson Jobim

Ex-presidente do STF avaliou provável oposição de Justiça Eleitoral, segundo Lei da Ficha Limpa

Ex-presidente do STF avaliou provável oposição de Justiça Eleitoral, segundo Lei da Ficha Limpa | Foto: Antonio Cruz / ABr / CP Memória

Ex-presidente do STF avaliou provável oposição de Justiça Eleitoral, segundo Lei da Ficha Limpa | Foto: Antonio Cruz / ABr / CP Memória

  • Comentários
  • AE

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-ministro Nelson Jobim disse, nesta sexta-feira, que o PT poderá registrar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato ao Planalto, mesmo com o petista preso e condenado em segunda instância. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem o período de 15 a 30 de agosto para julgar o pedido. Ele avalia como "quase certa" a impugnação da candidatura de Lula pela Justiça Eleitoral, pela regra de inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa.

• Recurso de Lula é negado por unanimidade pela 2ª Turma do STF

Jobim afasta a possibilidade de o PT ser impedido de registrar a candidatura de Lula, no TSE. "Para você dizer que não analisa, você precisa ter recebido. É impossível não poder protocolar." Ele ainda considera a possibilidade de o Supremo conceder uma liminar ao partido para que a Justiça garanta o registro de Lula. "Pode acontecer", avaliou Ex-ministro dos governos Fernando Henrique Cardoso e Lula, Jobim avalia que o PT tem três possibilidades para a eleição presidencial, defendidas por diferentes correntes no partido: indicar um substituto para Lula após a impugnação da candidatura; indicar um candidato a vice para herdar os votos do ex-presidente; ou ainda se coligar com Ciro Gomes (PDT).

Questionado sobre qual das três possibilidades ele considera mais provável, Jobim disse não apostar em nada. Os nomes cogitados para vice, mencionou, são o ex-ministro Jaques Wagner, o ex-prefeito Fernando Haddad, o ex-chanceler Celso Amorim e o deputado federal Patrus Ananias (MG). Segundo turno Nelson Jobim afirmou que ainda considera cedo para apontar quais dos candidatos têm potencial para chegar no segundo turno da eleição presidencial.

Lembrando de pesquisas eleitorais, ele afirmou que há um risco de uma polarização entre o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) e um candidato do campo da esquerda. "Se mantiver a proliferação dos candidatos de centro e o Bolsonaro e a esquerda mantiverem as intenções de voto, o que poderá haver, e aí é uma complicação, é a polarização do segundo turno entre Bolsonaro e algum da esquerda." A segurança pública deve ser um dos principais temas com apelo eleitoral, observou.

A economia, por outro lado, não tende a ser relevante na decisão dos eleitores sobre quem votar para presidente. Para ele, a política econômica adotada pelo presidente Michel Temer está no caminho correto, mas não dá força eleitoral para um presidenciável. "A economia vai pouco importar nessa eleição. Melhorou para o andar de cima, mas o andar de baixo continua com desemprego, juros altos e com dificuldades de consumo", comentou.