Correio do Povo | Notícias | Equipe interministerial avalia situação de imigrantes em Pacaraima

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 15 de Novembro de 2018

  • 21/08/2018
  • 11:16
  • Atualização: 11:30

Equipe interministerial avalia situação de imigrantes em Pacaraima

Integram a equipe ministérios da Defesa, Casa Civil e outras secretarias

Equipe interministerial avalia situação de imigrantes em Pacaraima | Foto: Marcos Corrêa / PR / CP

Equipe interministerial avalia situação de imigrantes em Pacaraima | Foto: Marcos Corrêa / PR / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

Uma equipe técnica interministerial do governo federal visita nesta terça-feira o município de Pacaraima (RR), cidade que abriga milhares de imigrantes venezuelanos. O grupo chegou na segunda-feira à noite em Boa Vista e se reuniu com representantes do governo estadual, organizações da sociedade civil e de agências da Organização das Nações Unidas (ONU). Por volta das 9h desta terça-feira, o grupo embarcou para Pacaraima, onde também se reunirá com autoridades locais e agentes sociais para avaliar a situação e colher informações sobre os imigrantes venezuelanos. 

• "Pacaraima foi destruída", diz prefeito na fronteira com Venezuela

• AGU diz ser contra fechamento de fronteira com Venezuela

Integram a equipe técnica interministerial os ministérios da Defesa; Casa Civil, Gabinete Segurança Institucional, Justiça, Segurança Pública, Desenvolvimento Social, Direitos Humanos, Relações. Exteriores, Educação, Saúde e Ciência e Tecnologia. O resultado da missão será analisado em Brasília.

No sábado, moradores do município de Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, expulsaram venezuelanos de barracas e abrigos e atearam fogo a seus pertences, em um princípio de revolta contra a presença deles na cidade. A agressão aos imigrantes se deu após um comerciante local ter sido assaltado e espancado em casa, na sexta-feira, supostamente por quatro venezuelanos.

No mesmo dia do ataque aos venezuelanos, a população local realizou um ato em frente ao Comando Especial de Fronteira do Exército contra a presença de imigrantes do país vizinho. A manifestação pacífica culminou com os episódios de violência.