Correio do Povo | Notícias | Eduardo Leite defende revisão do plano de carreira e prorrogação das alíquotas por 2 anos

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

  • 03/09/2018
  • 13:43
  • Atualização: 16:10

Eduardo Leite defende revisão do plano de carreira e prorrogação das alíquotas por 2 anos

Candidato ao governo do Rio Grande do Sul promete salários em dia já no primeiro ano

Candidato ao governo do Rio Grande do Sul promete salários em dia já no primeiro ano | Foto: Guilherme Almeida

Candidato ao governo do Rio Grande do Sul promete salários em dia já no primeiro ano | Foto: Guilherme Almeida

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

O candidato ao governo do Rio Grande do Sul pelo PSDB, Eduardo Leite, defendeu, em entrevista ao programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba, uma revisão na estrutura do funcionalismo público e no plano de carreira. Para o ex-prefeito de Pelotas, é necessário rediscutir incorporações e benefícios concedidos, respeitando o direito adquirido.

"Temos que discutir a estrutura de carreira dos servidores, a previdência do Estado. Atualmente a folha de pagamento compromete grande parte dos recursos, então, é necessário reavaliar este modelo. O plano de carreira do RS é anterior a Constituição de 1988". Leite disse ser a favor da privatização da Sulgás, CEEE e CRM, estatais que estão em xeque em razão da necessidade de um plebiscito para que seja autorizada a negociação. O candidato tucano, porém, fez a ressalva de que a Fundação de Economia e Estatística (FEE) deveria ter sido mantida. 

O candidato defende a prorrogação por dois anos das alíquotas de ICMS para que o governo que entre tome real conhecimento real das finanças do Estado e assim elaborar um plano de ação para equilibrar as contas. Com um discurso técnico, o postulante ao Piratini falou em revisão de estrutura do Estado, avaliar secretarias e servidores baseados em critérios objetivos e reduzir a burocracia. Eduardo diz que não cabe mais o "esforçado não ser recompensado e o relapso não ser punido." Sobre os salários, ponto central destas eleições ao governo, Eduardo Leite se comprometeu em colocar em dia já no primeiro ano de governo. "Reconheço a dificuldade financeira do Estado, mas é possível e sem alterar a data de pagamento."

Confira as outras entrevistas

• Jairo Jorge defende o serviço público e se posiciona contra a privatização

• Miguel Rossetto promete rever extinção das fundações

• Sartori destaca governo "forte" e volta a falar em modificar a estrutura do Estado

• Mateus Bandeira defende que Estado deixe de ter o controle do Banrisul

• Roberto Robaina defende a descriminalização das drogas

• Júlio Flores propõe grande rebelião, prisão de corruptos e redução da jornada de trabalho