Correio do Povo | Notícias | TSE lacra programas usados na urnas eletrônicas durante cerimônia

Porto Alegre

29ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

  • 06/09/2018
  • 12:49
  • Atualização: 13:32

TSE lacra programas usados na urnas eletrônicas durante cerimônia

Dados dos candidatos poderão ser postos a partir do próximo dia 17

Dados dos candidatos poderão ser postos a partir do próximo dia 17 | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil / CP Memória

Dados dos candidatos poderão ser postos a partir do próximo dia 17 | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil / CP Memória

  • Comentários
  • Agência Brasil

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, assinou e lacrou nesta quinta-feira os códigos-fonte dos programas que serão utilizados nas urnas eletrônicas nas eleições deste ano. A cerimônia simbólica marca o momento a partir do qual não é mais possível fazer qualquer alteração nos softwares utilizados na eleição. Neste momento, ainda não foram incluídas nos sistemas as informações sobre candidatos e eleitorado, que devem ser inseridas em cerimônias separadas, a serem realizadas nos Tribunais Regionais Eleitorais.

• TSE aprova candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência

O fechamento do código-fonte dos programas não impede a inserção ou modificação posterior dos nomes dos candidatos, uma vez que é uma funcionalidade própria do software que permite o procedimento, esclareceu a área técnica do TSE. Uma vez lacrados, os softwares da urna eletrônica são enviados aos TRE´s para instalação nas urnas, em cerimônias abertas a serem realizadas a partir do próximo dia 17.

Na mesma ocasião é que devem também ser postos os nomes dos candidatos. A cerimônia foi realizada após período de seis meses em que representantes de diversas entidades puderam acompanhar o desenvolvimento dos sistemas, entre elas, o Congresso, o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público, a Controladoria-Geral da União, a Polícia Federal, o Conselho Nacional de Engenharia e Agronomia, partidos políticos e departamentos de tecnologia de universidades.