Correio do Povo | Notícias | Presidenciáveis repudiam ataque a Bolsonaro e cobram investigação

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

  • 06/09/2018
  • 16:51
  • Atualização: 17:38

Presidenciáveis repudiam ataque a Bolsonaro e cobram investigação

Políticos usaram as redes sociais para se manifestar sobre o incidente

Bolsonaro foi atingido por faca durante agenda eleitoral em Minas Gerais | Foto: Fábio Motta / Estadão Conteúdo / CP

Bolsonaro foi atingido por faca durante agenda eleitoral em Minas Gerais | Foto: Fábio Motta / Estadão Conteúdo / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O incidente envolvendo o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, que foi esfaqueado em Juiz de Fora, Minas Gerais durante uma atividade de campanha repercutiu rapidamente entre os outros candidatos. Ciro Gomes, do PDT, repudiou a violência e exige a investigação, identificação e punição ao agressor.

João Amoêdo, do Partido Novo disse que é inaceitável o que aconteceu com Bolsonaro e que não se pode aceitar nenhum tipo de violência.

Geraldo Alckmin, Marina Silva, Henrique Meirelles, Alvaro Dias e Fernando Haddad também usaram as redes sociais para condenar o incidente

Guilherme Boulos, do Psol, falou que que violência não se justifica e não pode tomar o lugar do debate político

PSol repudia ataque em nota oficial

Em nota oficial, o PSol considerou o ataque a Jair Bolsonaro “um grave atentado à normalidade democrática e ao processo eleitoral”. O candidato do PSL foi esfaqueado durante ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira. Ele foi encaminhado ao centro cirúrgico da Santa Casa do município.

Para o PSol, episódios de violência e intolerância “contaminaram o ambiente político nos últimos anos” e, por isso, expressa repúdio contra o ataque a Bolsonaro e diz esperar as medidas cabíveis contra o autor.