Correio do Povo | Notícias | Senadores gaúchos garantem votos pelo afastamento de Aécio Neves

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Setembro de 2018

  • 14/10/2017
  • 12:30
  • Atualização: 12:41

Senadores gaúchos garantem votos pelo afastamento de Aécio Neves

Justiça concedeu liminar obriga que votação seja aberta e nominal no plenário

Senadores gaúchos garantem votos pelo afastamento de Aécio Neves | Foto: Geraldo Magela / Senado / CP

Senadores gaúchos garantem votos pelo afastamento de Aécio Neves | Foto: Geraldo Magela / Senado / CP

  • Comentários
  • Lucas Rivas e Gabriel Jacobsen / Rádio Guaíba

O futuro de Aécio Neves (PSDB-MG) no Senado Federal será decidido na próxima terça-feira quando o plenário deve votar sobre seu afastamento do cargo. Os três senadores gaúchos confirmaram à Rádio Guaíba, na manhã deste sábado, que irão votar pelo afastamento do senador tucano.

Acusado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) de ter cometido crimes de obstrução de Justiça e corrupção passiva, Aécio permanece afastado do mandato parlamentar por determinação da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta terça-feira, após o STF ter decidido que o Supremo pode aplicar medidas cautelares contra parlamentares, embora o afastamento do cargo dependa de aval do Congresso, o Senado votará o caso de Aécio.

Liberado pelo Supremo 

O senador Lasier Martins (PSD) disse que decidiu o voto contra Aécio após o STF ter definido que as medidas cautelares contra os parlamentares devem passar por análise da Câmara ou do Senado. “Eu vou votar pela manutenção do afastamento (de Aécio) porque, agora, eu estou liberado pelo Supremo. Quando, há duas semanas, eu votei pela espera de uma decisão do Supremo é porque não havia clareza com relação à constituição sobre as medidas cautelares", apontou. "Diante disso, cumprindo agora decisão do Supremo eu posso votar pelo processamento do senador Aécio. Portanto, agora vou votar pela continuação do processo e pelo afastamento do senador”, salientou.

Sobre a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal, que obrigou o Senado a fazer votação aberta e nominal sobre afastamento de Aécio, Lasier Martins endossou. “Eu defenderei na tribuna do Senado que a votação seja aberta. Isto não é hora para se acovardar, cada um tem que mostrar a cara”, defendeu.

"Nada republicana" 

Ao considerar como “nada republicana” o teor das conversar entre Aécio e Joesley Batista – um dos donos da J&F – Ana Amélia Lemos (PP) informou, inclusive, ter cancelado uma agenda internacional na próxima semana para votar contra o tucano. “Eu vou defender o voto aberto e mesmo que em 2014 eu tenha apoiado Aécio Neves à presidência da República no Rio Grande do Sul, isto não me dá o direito de não usar a mesma régua moral no exame do caso Aécio. A régua moral precisa ser a mesma para aliado e adversário político”, justificou.

PT está unido para afastar tucano 

O senador Pulo Paim (PT) também confirmou, pelas redes sociais, que votará pelo afastamento de Aécio, assim como o fez no caso envolvendo Delcídio do Amaral. “Eu votarei como já votei em todos os outros que foram provocados pelo Supremo a serem afastados do Senado. Eu votarei pelo afastamento de Aécio e ele que vá responder no Supremo sobre seus atos”, disparou. Paulo Paim também assegura ainda que a bancada do PT, formada por nove parlamentares, está “unida” para afastar o senador tucano.

O quórum mínimo para votação em torno de Aécio Neves é de 41 dos 81 senadores. O afastamento ou não do senador depende de maioria simples em plenário.