Correio do Povo | Notícias | Corpos encontrados esquartejados em Novo Hamburgo são de crianças

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de Julho de 2018

  • 07/09/2017
  • 11:04
  • Atualização: 11:07

Corpos encontrados esquartejados em Novo Hamburgo são de crianças

Vítimas não têm registro de digitais no sistema gaúcho, o que dificulta a identificação de ambos

  • Comentários
  • Jéssica Moraes / Rádio Guaíba

Os corpos esquartejados, encontrados na manhã da última segunda-feira, em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, são de duas crianças, conforme informações repassadas pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) à Polícia Civil. Segundo informações preliminares do órgão, o menino tinha entre 8 e 9 anos e a menina, entre 10 e 12. O resultado de DNA vai apontar se havia algum parentesco entre as vítimas.

De acordo com o delegado Rogério Baggio, titular da Delegacia de Homicídios do município, não foi possível identificar as vítimas através das digitais. “As impressões digitais foram coletadas perfeitamente, mas não há padrão correspondente (no sistema)”, afirmou o delegado.

A partir disso, Baggio trabalha com duas hipóteses. Em uma delas, as crianças não tem registro geral, ou seja, nunca fizeram a carteira de identidade. A outra hipótese é de que as crianças sejam de fora do Rio Grande do Sul e, por isso, não tenham suas digitais no sistema de Segurança Pública gaúcha. A polícia já acionou órgãos de identificação de outros Estados e também solicitou auxílio da Polícia Federal para tentar identificar as vítimas.

As investigações procedem lentamente, pois o lugar onde os corpos foram encontrados, em um matagal próximo a uma estrada do bairro Lomba Grande, no limite entre Novo Hamburgo e São Leopoldo, é deserto. Segundo o delegado, a câmera mais próxima fica há três quilômetros do local e não grava, só reproduz imagens. Os corpos das duas crianças estavam dentro de sacos plásticos e caixas de papelão.

Informalmente, os investigadores conversaram com um vizinho que reside há 500 metros do local. Ele disse ter ouvido latidos constantes de cachorros durante a noite de domingo e madrugada de segunda-feira, mas não sabe precisar o horário. Essa informação faz com que a polícia trabalhe com a ideia de que os corpos foram desovados nesse período.

Durante a tarde de quarta-feira, o delegado Baggio e sua equipe percorreram escolas da região, pedindo para que os diretores informem possíveis ausências de crianças na faixa etária das vítimas. Na próxima segunda-feira, a polícia vai entrar em contato com a Secretaria de Educação Estadual para que eles possam expandir as orientações. Além das escolas, os policiais voltaram ao matagal e percorreram o local para tentar encontrar pistas ou outras partes dos corpos.

Além das cabeças, outras partes dos corpos das vítimas não foram encontradas. Isso fez com que, antes da perícia, a polícia acreditasse que havia uma mulher adulta entre as vítimas.

A Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo disponibiliza o WhatsApp (51) 98416-8902 para que as pessoas mandem mensagem caso tenham alguma informação ou notem a ausência de alguma criança próxima. A denúncia é anônima.