Correio do Povo | Notícias | Gate recolhe artefato suspeito na zona Norte de Porto Alegre

Porto Alegre

29ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 13 de Novembro de 2018

  • 09/11/2018
  • 16:24
  • Atualização: 16:38

Gate recolhe artefato suspeito na zona Norte de Porto Alegre

Trânsito ficou bloqueado até as 15h desta sexta-feira no bairro Boa Vista

Uma suspeita de bomba complicou o trânsito no bairro Boa Vista, na zona Norte de Porto Alegre | Foto: Ricardo Giusti

Uma suspeita de bomba complicou o trânsito no bairro Boa Vista, na zona Norte de Porto Alegre | Foto: Ricardo Giusti

  • Comentários
  • Jessica Hübler

Uma suspeita de bomba complicou o trânsito no bairro Boa Vista, na zona Norte de Porto Alegre, na tarde desta sexta-feira. A Brigada Militar (BM) foi acionada via 190 por moradores da região por conta de um objeto estranho que estava em cima de uma árvore na rua Doutor Guimarães Rosa, nas proximidades do cruzamento entre as avenidas Plínio Brasil Milano e Carlos Gomes. A ocorrência teve início por volta das 10h quando a via ficou bloqueada. A rua foi liberada após às 15h após o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) do 1º Batalhão de Operações Especiais (1º BOE) da Brigada Militar recolher o artefato. 

Além do Gate, PMs do 11º BPM, Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estiveram no local. O comandante do 11º BPM, tenente-coronel Douglas Soares, explicou que a Brigada Militar possui protocolos que são acionados na medida em que há uma situação de risco. "Nas ocorrências em que temos a possibilidade de ter um artefato explosivo, de imediato é acionado o protocolo", enfatizou.

Segundo ele, o procedimento padrão inclui a presença de todos os órgãos para garantir a segurança na região. "Foi constatado que não havia nenhum material explosivo no invólucro, que será encaminhado para a perícia com o objetivo de descobrir quem instalou o objeto no local e se a intenção foi causar pânico ou não", declarou.

Sobre o bloqueio no trânsito, Soares ressaltou que foi necessário para garantir que ninguém saísse ferido caso houvesse a necessidade de uma destruição do objeto.