Correio do Povo | Notícias | Prefeitura de Canoas relata que fez denúncias ao MP sobre empresa de saúde

Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018

  • 06/12/2018
  • 11:34
  • Atualização: 18:00

Prefeitura de Canoas relata que fez denúncias ao MP sobre empresa de saúde

Atual administração garantiu que irá colaborar com investigação a respeito de desvios

Prefeitura de Canoas relata que fez denúncias ao MP sobre empresa de saúde  | Foto: Marjuliê Martini e Roberta Salinet / MPRS / Divulgação / CP

Prefeitura de Canoas relata que fez denúncias ao MP sobre empresa de saúde | Foto: Marjuliê Martini e Roberta Salinet / MPRS / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

* Com informações da repórter Fernanda Bassôa

Após a realização da operação do Ministério Público, que investiga desvio de recursos da área da saúde de Canoas, a prefeitura do município emitiu uma nota de esclarecimento sobre o assunto. Na manifestação, o executivo municipal relata que a atual administração já vinha denunciando supostas deficiências na formatação do edital de contratação feito na gestão anterior.  

• Operação seguirá apurando desvios na Saúde de Canoas nas próximas semanas

"A Prefeitura de Canoas considera positiva a investigação do Ministério Público sobre os contratos firmados pelo município com o Gamp (Grupo de Apoio À Medicina Preventiva e à Saúde Pública) em 2016. A atual Administração vem denunciando, antes mesmo de assumir o município, as deficiências na formatação do edital de contratação. O assunto foi abordado pela gestão atual em diversas reuniões com o Ministério Público em Canoas sobre o tema", diz a nota. 

A prefeitura ainda recorda que em setembro de 2017 já tinha manifestado o desejo de retirar a Gamp da administração da saúde de Canoas. "Na época, trabalhadores da saúde, inclusive os sindicatos, solicitaram que não fossem chamados os próximos colocados na licitação feita em 2016, pois consideravam as demais classificadas piores do que o próprio Gamp", descreve o documento. 

A atual gestão colocou ainda que tem trabalhado para colaborar com os órgãos responsáveis pelo controle de gastos do município. "Diante disso, a Administração tem trabalhado exaustivamente para a realização de uma nova licitação, para contratar uma nova empresa para a gestão da saúde em Canoas. O edital está em fase de conclusão, com possibilidade de publicação na segunda quinzena de dezembro deste ano", relata. 

A prefeitura de Canoas ainda explica que tem discordado e bloqueado valores de despesas apresentadas pelo Gamp, onde haja inconsistência. "Inclusive a Administração discute um crédito alegado pelo Gamp de mais de R$ 100 milhões, fruto de inúmeras glosas registradas pela fiscalização. A Prefeitura de Canoas afirma que está colaborando com as investigações do Ministério Público e espera que os fatos sejam esclarecidos com a maior brevidade", finaliza a nota. 

Em nota, a secretária de saúde do município da Canoas e o adjunto informam que o afastamento temporário dos cargos é um rito normal, cuja determinação foi acatada. Essa medida inclusive é uma forma de colaborar com a transparência da gestão municipal e com a investigação do Ministério Público.

Paralelo a operação, os trabalhadores da saúde mantiveram a paralisação, cujo término estava programado para as 20 horas de quinta. "Há anos nós denunciamos a péssima gestão da saúde pública em Canoas, que sistematicamente leva os trabalhadores a paralisações. Esperamos que a ação do MP e da polícia exponha as mazelas que o Gamp trouxe a Canoas" comenta o presidente do SindiSaúde, Arlindo Ritter.