Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

  • 12/08/2017
  • 21:00
  • Atualização: 22:21

Velório de Carlos Araújo termina com discurso de Dilma Rousseff

Ex-presidente destacou a intensidade que o pedetista demonstrou a vida inteira

Dilma Rousseff destacou a intensidade que era uma marca de Carlos Araújo | Foto: Alina Souza

Dilma Rousseff destacou a intensidade que era uma marca de Carlos Araújo | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Flávia Bemfica

A ex-presidente Dilma rousseff fez um misto de manifestação política e pessoal durante as últimas homenagens ao ex-deputado pedetista Carlos Araújo. Dilma falou na noite deste sábado nos instantes finais do velório do ex-marido na Assembleia Legislativa.

“O Carlos viveu intensamente e quis que todos tivessem condições de viver intensamente a sua própria vida. Ele via o mundo sempre de uma forma um pouquinho melhor do que o mundo era, o que ajudou muito a sua capacidade de resistir”, afirmou a ex-presidente.

Dilma também salientou que Araújo “sempre teve lado”. Em uma associação política, ela disse que o ex-marido percebia “o jogo político que hoje corre no Brasil e que o momento de consolidação do golpe seria a implantação do parlamentarismo”.

Ao final de seu pronunciamento, Dilma voltou a destacar a capacidade de Araújo de fazer amigos independente de ideologias. “Cada um de nós aqui acha que é um amigo especial do Carlos Araújo. Essa era a capacidade dele, a capacidade do encantamento”. O velório de Araújo na Assembleia terminou às 21h. O corpo será cremado em cerimônia restrita à família.

Antes de Dilma, falou, em nome da família, o ex-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi. “O Carlos era uma pessoa sem mágoa e sem ódio. No início, quando eu era jovem e o conheci, eu não entendia. Depois eu percebi que quando você não dá bola para o passado, quando você pensa no presente e no futuro, você não tem rancor. Porque rancor é uma coisa que fica no passado. Essa era a sabedoria do Carlos Araújo”, assinalou.

Quatro ex-governadores, muitos parlamentares, quadros históricos do PDT e lideranças de siglas à esquerda e a direita na política gaúcha compareceram ao velório de Araújo. Entre os ex-governadores, o pedetista Alceu Collares foi o primeiro a chegar, no mesmo horário da família, e acompanhado da esposa, Neusa Canabarro. Em seguida, foi a vez de Tarso Genro (PT). Olívio Dutra (PT) chegou no final da tarde, e ficou durante várias horas. E Pedro Simon (PMDB) esteve do final do dia e permaneceu até o término das homenagens.

Ex-deputado, Araújo ajudou a fundar o PDT 

Carlos Araújo era político histórico do PDT, partido do qual se afastou no ano de 2000, junto com Dilma e outros correligionários. Ele retornou à sigla em 2013, partido que ajudou a fundar com o ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, Leonel Brizola.

Ex-guerrilheiro, Araújo é reconhecido como um defensor das ideias de esquerda e do trabalhismo. Durante a gestão de Dilma Rousseff na presidência e mesmo após o impeachment, foi uma das pessoas mais próximas da petista.

Araújo foi eleito para três mandatos de deputado federal entre as décadas de 1980 e 1990. Em 1988 e 1992, se candidatou à prefeitura de Porto Alegre, mas foi derrotado pelos petistas Olívio Dutra e Tarso Genro, respectivamente.