Correio do Povo | Notícias | Após filiação de Jair Bolsonaro, Livres comunica desligamento do PSL

Porto Alegre

15ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

  • 05/01/2018
  • 20:19
  • Atualização: 20:49

Após filiação de Jair Bolsonaro, Livres comunica desligamento do PSL

Grupo informou que o deputado representa tudo pelo qual trabalham contra na política brasileira

Fábio Ostermann liderava Livres que confirmou desligamento do PSL após chegada de Jair Bolsonaro | Foto: Alina Souza / CP Memória

Fábio Ostermann liderava Livres que confirmou desligamento do PSL após chegada de Jair Bolsonaro | Foto: Alina Souza / CP Memória

  • Comentários
  • Lou Cardoso

Após a filiação do deputado Jair Bolsonaro ao Partido Social Liberal (PSL), o Livres comunicou o desligamento da sigla nesta sexta-feira. Segundo o presidente estadual do Livres, Fábio Ostermann, o parlamentar fluminense representa tudo aquilo que o grupo luta contra na política brasileira. “O que nos une como Livres é muito mais que uma filiação partidária, o que nos une são principios, ideias e valores, que infelizmente, demonstraram não são mais tão bem vindos no PSL. Por isso, que nós resolvemos deixar o partido", afirmou. 

De acordo com Ostermann, o Livres era o movimento de renovação dentro do PSL, que preferiu retroceder com o apoio a candidatura de Bolsonaro à Presidência da República. “O Livres encontrou um espaço e um porto seguro no PSL, que era um partido que queria se renovar, mas, aparentemente, acabou se deixando levar mais pelo pensamento de curto prazo e lógica da velha política do que propriarmente uma visão de futuro”, lamentou.

Conforme Ostermann, o grupo soube da procura de Bolsonaro pelo PSL para poder se filiar e participar das eleições 2018. E mesmo sabendo da reprovação do Livres, o presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), optou seguir com as negociações com o parlamentar e demonstrou uma “mentalidade caciquista” nas palavras do gaúcho. “Não faz sentido a gente permanecer e respaldar uma iniciativa política dessas, que é justamente o que a gente luta contra no dia a dia. Este tipo de acontecimento só reforça a nossa vontade e a nossa disposição em lutar contra a velha política. Porque somos vítimas daquilo que a gente trabalhava para lutar contra”, reforçou.

Os próximos passos do Livres será uma discussão interna para decidir o que será feito dentro do grupo. “Eu vou dar o andamento, na semana que vem, ao desligamento da minha posição dentro do partido tanto como presidente estadual quanto membro do executivo nacional e do diretório nacional. Vamos discutir qual vai ser o melhor caminho. Se a gente vai embarcar em bloco dentro de outro partido ou se a gente vai ser uma frente supra partidária que tenha candidato em partidos variados”, informou.

O Livres publicou em site oficial o comunicado sobre a saída do PSL:

"É com extremo pesar que comunicamos a saída do Livres do Partido Social Liberal.

Ao longo de quase dois anos, nos empenhamos na construção de um projeto inédito no Brasil: um novo partido político firmado em ideais de liberdade e integridade institucional. Conquistamos milhares de filiados em todos os estados do Brasil. Só no Facebook são mais de 150 mil seguidores. Formamos quadros qualificados que já haviam assumido o comando de 12 diretórios estaduais do PSL. Nosso vereador Lucas de Brito foi escolhido o melhor parlamentar de João Pessoa em 2017.

O ano de 2018 iria consolidar nosso projeto de renovação. Nossas novas lideranças políticas faziam do Livres o segundo partido mais representado no programa RenovaBR. Quadros do nível de Elena Landau desenvolviam um plano de trabalho para fazer da nossa Fundação uma das principais referências em políticas públicas na América Latina. Havíamos atraído alguns dos melhores parlamentares brasileiros dispostos a compor já no próximo mês uma bancada Livres de qualidade e integridade sem comparação no congresso nacional.

Agora, infelizmente, Livres e PSL tomam caminhos separados. A chegada do deputado Jair Bolsonaro, negociada à revelia dos nossos acordos, é inteiramente incompatível com o projeto do Livres de construir no Brasil uma força partidária moderna, transparente e limpa.

Além das origens e objetivos comuns que nos identificam com os ideais da liberdade, nós, do Livres, temos em comum também o mesmo inimigo: a velha política que satura o cidadão brasileiro.

Recusamos a reciclagem do passado. Não vamos arrendar nosso projeto à velha política de aluguel. Nosso compromisso não é com a popularidade das pesquisas da semana passada, mas com a população de um país que exige a transformação da política partidária. Não queremos servir a um grande nome, mas sim à grande massa de batalhadores de nosso Brasil. Se hoje a velha política nos derrota é porque ela não conseguiu nos conquistar.

Continuaremos a lutar por um estado mais enxuto, que concentre os recursos públicos em segurança, saúde e educação. Seguiremos na defesa das liberdades e oportunidades dos brasileiros que batalham e se sacrificam para construir suas famílias e suas carreiras, suas empresas e suas organizações - são eles os principais ativos de uma economia de mercado e a voz da consciência de uma civilização democrática.

Sabemos das dificuldades dessa nova etapa. Não fugiremos delas. Se escolhemos o desafio de um novo caminho à acomodação da velha política é porque tememos mais as facilidades do que as dificuldades da política. O grupo que hoje forma o Livres se esforçará em conjunto para amadurecer e formalizar nosso modelo de governança, por meio do qual iremos deliberar democraticamente sobre a estratégia do movimento para as eleições 2018.

Nós, do Livres, não descansaremos até que se instaure no Brasil um projeto político em que a democracia é uma garantia, as instituições são mais fortes que os interesses dos dirigentes, e o valor da liberdade é supremo e verdadeiro."