Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

  • 20/03/2017
  • 13:11
  • Atualização: 13:59

China suspende importação de carne brasileira

País exigiu explicações ao governo brasileiro sobre as denúncias da Operação Carne Fraca

China suspende importação de carne brasileira | Foto: Miguel Schincariol / AFP / CP

China suspende importação de carne brasileira | Foto: Miguel Schincariol / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

* Com informações da AFP

A China suspendeu a importação de carne brasileira, enquanto não receber explicações detalhadas do governo federal sobre a Operação Carne Fraca desencadeada pela Polícia Federal na última sexta-feira. Conforme as primeiras informações da assessoria do ministério, a China havia suspendido os embarques programados por uma semana. Em 2016, as receitas brasileiras de carne de frango congelada à China somaram 859,5 milhões de dólares e as de carne bovina fresca, congelada e refrigerada totalizaram 702,7 milhões, segundo dados do Ministério de Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Leia mais sobre a Operação Carne Fraca

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, informo que o Brasil dará todos os esclarecimentos aos chineses o mais rápido possível. Até lá, o país não desembarcará as carnes importadas do Brasil. Hoje à noite, o ministro terá uma videoconferência com autoridades chinesas para prestar esclarecimentos. Até o momento, a China foi único mercado a fazer comunicado oficial sobre o caso ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Maggi disse ainda que, atualmente, 65 empresas autorização para exportar carne para o país asiático. E que a decisão daquele país de reter o produto em seus portos atinge todas elas.

Chile também suspende importação

O Chile também decidiu nesta segunda-feira o encerramento temporário de suas importações de carne do Brasil depois das revelações feitas pela Operação Carne Fraca, informou o ministério da Agricultura. "O fechamento do mercado brasileiro de carne é temporário, até que eles informem se há frigoríficos autorizados a exportar para o Chile", informou o ministro da Agricultura, Carlos Furche em sua conta no Twitter.

Nesta segunda-feira, a União Europeia anunciou a suspensão de empresas envolvidas em fraude da carne. A UE também pediu ao Brasil que suspenda "a certificação desses estabelecimentos durante o processo de exclusão da lista", acrescentou o porta-voz do executivo comunitário. De concreto, dos 21 frigoríficos envolvidos no escândalo da "Carne Fraca", quatro tinham permissão de exportar para os 28 países do bloco europeu.

Operação Carne Fraca

A Polícia Federal (PF) deflagrou na última sexta-feira a operação "Carne Fraca” com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que seria liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio.  A operação detectou em quase dois anos de investigação que as Superintêndencias Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público. Os agentes públicos, utilizando-se do poder fiscalizatório do cargo, mediante pagamento de propina, atuavam para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva.

Ao longo das investigações a Polícia Federal (PF) descobriu que os frigoríficos envolvidos no esquema criminoso "maquiavam" carnes vencidas com ácido ascórbico e as reembalavam para conseguir vendê-las. As empresas, então, subornavam fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para que autorizassem a comercialização do produto sem a devida fiscalização. A carne imprópria para consumo era destinada tanto ao mercado interno quanto para exportação.