Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 20 de Janeiro de 2018

  • 23/12/2017
  • 17:45
  • Atualização: 18:11

Sperotto: líder franco e reconhecido pela classe

Falecido neste sábado, presidente da Farsul tinha trajetória de décadas na agricultura gaúcha

Sperotto faleceu neste sábado, aos 79 anos | Foto: Gerson Raugust / Farsul / CP

Sperotto faleceu neste sábado, aos 79 anos | Foto: Gerson Raugust / Farsul / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

As primeiras manifestações públicas de pesar pela morte de Carlos Rivaci Sperotto resumiram como dirigentes rurais, políticos e empresários viam o presidente da Federação da Agricultura do Estado Rio Grande do Sul (Farsul). “A agropecuária gaúcha e brasileira perde um de seus grandes líderes”, definiu a senadora Ana Amélia Lemos. “Um homem à frente de seu tempo, de posicionamento firme, honesto e íntegro, que deixa uma legado inestimável para a agricultura do Rio Grande do Sul”, escreveu o governador José Ivo Sartori.

Desde que assumiu a presidência da entidade em 1997, Sperotto esteve à frente de brigas com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), de lutas pela regulamentação do plantio de transgênicos e de mobilizações por renegociação de dívidas do setor e defesa dos produtores. A franqueza que exibia ao falar de tais temas lhe valeram o reconhecimento de classe que representava. Depois do primeiro mandato, Sperotto conquistou outros seis, em sequência.

Nascido em 4 de agosto de 1938, em Palmeira das Missões, formado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1962, Sperotto foi produtor de soja, milho, trigo e sementes de forrageiras, além de criador de ovinos de carne e bovinos de leite. Entre os cargos que ocupou ao longo de sua trajetória pública estão os de diretor dos Sindicatos Rurais de Santo Augusto e Ijuí, presidente da Brastexel, fundador e presidente da Febrocarne, diretor financeiro da Farsul de 1991 a 1997, vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e presidente do Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RS). Também foi o representante da CNA para tratar dos compromissos dos agricultores junto ao Sistema Financeiro Nacional.

Sperotto morreu neste sábado, no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, em decorrência de um câncer no aparelho digestivo. Deixa mulher, quatro filhos e netos. O velório de Sperotto ocorre a partir das 21h, na sede da Farsul, e deverá encerrar por volta das 11h, quando o corpo será levado para o Crematório Metropolitano.

Com a morte de Sperotto, o veterinário Gedeão Silveira Pereira, de 68 anos, primeiro vice-presidente da entidade, assumirá o comando da Farsul.