Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 24 de Setembro de 2017

  • 19/08/2017
  • 12:08
  • Atualização: 12:20

Expointer comemora 40 edições retratando agronegócio gaúcho

Feira foi lançada em 1972 como exposição de animais e hoje é modelo internacional

Estrutura do parque se expandiu para atender à demanda crescente por espaços do evento | Foto: Fernando Dias / CP Memória

Estrutura do parque se expandiu para atender à demanda crescente por espaços do evento | Foto: Fernando Dias / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

No próximo sábado, dia 26, às 15h, será aberta no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, a 40ª edição da Expointer, com a responsabilidade de honrar 45 anos de história. A feira, que tem origens no começo do século XX, ganhou em 1972 os primeiros contornos do modelo atual, ao se tornar internacional e mudar do Parque Menino Deus, em Porto Alegre, para o Parque Assis Brasil, em Esteio.

O novo endereço sucedeu o da já tradicional mostra da pecuária que se realizou entre 1912 e 1969 no bairro da Capital e que, por sua vez, também tinha antecessoras. Há referências em jornais a uma exposição pecuária em Pelotas, no final do século XIX, com 29 bovinos e a outras, em diversas cidades do interior, na primeira metade do século XX. Também houve um período, nos primeiros anos do século XX, em que a feira ocorreu na área do atual Parque Farroupilha, em Porto Alegre.

A troca para Esteio foi necessária para adequar o crescimento da feira a um local com espaço e facilidade de fluxo, uma vez que a Capital não comportava mais um evento com mais de 3 mil animais em uma área central, complicando o acesso dos produtores e dos visitantes.

Na primeira edição da contagem atual, a Expointer atraiu expositores de países como a França, Inglaterra e Alemanha. A partir daí, tornou-se uma das principais do gênero no Brasil e na América Latina. Até 1982, era realizada a cada dois anos, por isso é que chega a 2017 na 40ª edição e não na 46. A partir de 1984, passou a ser anual.

O secretário da Agricultura, Ernani Polo, comenta que, apesar da crise política e econômica e da baixa remuneração pela supersafra agrícola, a expectativa é de uma feira pujante neste ano. “A Expointer tem a característica de reunir o melhor da produção, do conhecimento e da tecnologia e de proporcionar a intera-ção das pessoas”, diz. Segundo Polo, sempre se espera o aumento no volume de negócios, “mas a exposição é mais que isso”.

A abertura da feira será no Restaurante Internacional do Parque, reformado para a data comemorativa depois de ter sofrido danos provocados por um vendaval em 2015. Logo depois da cerimônia, às 18h, em palco montado na pista central, um show temático vai homenagear as 40 edições da Expointer. “Vamos trazer a Ópera Gaúcha com cantores, bailarinos, cavaleiros e algumas surpresas”, adianta Polo.

Neste ano, a agenda da Expointer conta com pelo menos 400 eventos, exposição de 151 raças de animais, com 3.208 inscritos para competições e mais 1.437 para leilões. São esperados de 500 a 600 mil visitantes. Uma largada com 13 países

Uma largada com 13 países

O primeiro cartaz de divulgação da Expointer, concebido em 1972, tinha como destaque as bandeiras dos países que davam à feira o caráter de internacionalidade. Além dos expositores brasileiros, participaram representantes do Canadá, Holanda, França. Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Áustria, Suécia, Dinamarca, Bélgica, Uruguai e Argentina.

Foto: Edgar Planella / CP Memória

A produção do evento naquele ano demandou inclusive uma equipe de recepcionistas bilíngues para facilitar a comunicação entre os participantes. Com o tempo, a programação visual da feira foi ganhando pluralidade e passou a destacar aspectos do cenário agropecuário gaúcho, como o cartaz de 2017, que aposta na imagem do homem e da mulher do campo.

Foto: Reprodução / CP 

A primeira Expointer teve 2,9 mil animais inscritos, de 45 raças, incluindo os suínos, que ficaram até os anos 1980, quando foram retirados por questões de sanidade. A construção do parque, em área inicial de 64 hectares adquirida pelo governo do Estado da Família Kroeff, de Esteio, ocorreu entre os anos de 1967 e 1969. Na inauguração, os expositores e visitantes podiam contar com 22 mil metros de área coberta. Hoje, o parque tem 141 hectares, 45 mil metros de pavilhões cobertos e 70 mil metros de área de exposição.