Correio do Povo | Rio 2016 | Brasileiro Lauro Chaman conquista o bronze no ciclismo de estrada

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

  • 14/09/2016
  • 16:24
  • Atualização: 16:30

Brasileiro Lauro Chaman conquista o bronze no ciclismo de estrada

Ucraniano e australiano completaram o pódio na categoria

Brasileiro Lauro Chaman conquista o bronze no ciclismo de estrada | Foto: Divulgação / Saulo Pereira Guimarães / Rio 2016 / CP

Brasileiro Lauro Chaman conquista o bronze no ciclismo de estrada | Foto: Divulgação / Saulo Pereira Guimarães / Rio 2016 / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

O ciclista Lauro Cesar Chaman conquistou, nesta terça-feira, a medalha de bronze para o Brasil na disputa contrarrelógio C5 do ciclismo de estrada, no Jogos Paralímpicos Rio 2016. Ele terminou o percurso em 37min37s43. Soelito Gohr, outro brasileiro na disputa, ficou com o nono lugar na prova, disputada na Praia do Pontal, zona oeste do Rio de Janeiro. 

A medalha de ouro ficou com o ucraniano Yehor Dementyev, que fez o tempo de 36min53s23, e a prata com o australiano Alistair Donohoe que terminou a prova em 37min33s36. 

A prova é mesmo uma corrida contra o relógio. Os ciclistas largam individualmente e devem completar um percurso predeterminado na estrada. O atleta que fizer o menor tempo é o vencedor. Seja na prova de estrada, na qual todos largam juntos, ou de contrarrelógio, o ciclismo de estrada está presente nos Jogos Paralímpicos desde Nova York/Stoke Mandeville 1984. Na Rio 2016, estão sendo disputadas 33 modalidades.

Os atletas competem em bicicletas diferentes, de acordo com sua capacidade funcional. Quanto menor for o número associado, maior é o grau de deficiência do atleta.

C1-C5: Atletas amputados, com potência muscular ou coordenação limitadas, que competem em bicicletas normais.

H1-H5: Atletas com capacidade limitada nas pernas, nos braços e no tronco, usam handbikes (modelos de bicicleta em que o impulso é dado com as mãos).

T1-T2: Atletas com coordenação e equilíbrio limitados, competem em triciclos.

TB: Atletas com deficiência visual, competem na bicicleta tandem, com dois assentos (o ciclista que vai na frente não tem deficiência visual).