Racing quebra 100% do Rosario Central e assume liderança da Superliga Argentina antes da data Fifa

Lisandro López abriu o placar no Cilindro – Foto: Racing / Divulgação

A Superliga Argentina 2018/19 tem um novo líder após quatro rodadas. Na manhã de domingo, o Racing bateu o Rosario Central por 2 a 0, no Cilindro, e tomou o primeiro lugar dos Canallas, que tinham 100% de aproveitamento na competição. Além de assumir a liderança, a vitória foi fundamental para a Academia recuperar a confiança após a eliminação na Libertadores da América.

Depois do 3 a 0 sofrido para o River Plate na última quarta-feira, o técnico Eduardo Coudet fez mudanças na escalação do Racing. Nomes importantes como Centurión e Gustavo Bou foram para o banco. E a resposta foi extremamente positiva. Após jogar melhor no primeiro tempo, o Racing fez 1 a 0 logo no começo do segundo com o capitão Lisandro López. Nos minutos finais, Augusto Solari aproveitou passe de Bou, que entrou no lugar de Cristaldo, e definiu o placar de 2 a 0.

Com um dos melhores elencos da Argentina, o Racing tentará aproveitar que Boca, River e Independiente seguem com a Libertadores como prioridade para abrir vantagem na Superliga. Eduardo Coudet terá agora um período de duas semanas para preparar sua equipe para uma arrancada no torneio. Por conta da data Fifa, a próxima rodada do Argentino ocorre apenas em 15 de setembro.

 

Solari definiu a vitória do Racing

 

Grande jogo em Quilmes

Estudiantes e Independiente empataram – Foto: Independiente / Divulgação

Assim como o Racing, o Estudiantes também queria voltar para a Superliga com vitória após a eliminação na Libertadores no meio de semana. O Pincharrata recebeu o Independiente em Quilmes e deu pinta de que construiria um triunfo até com tranquilidade, mas não foi o que ocorreu.

Fiel ao seu estilo, o Estudiantes apostou em um jogo de marcação forte e transições rápidas para dominar o Independiente no primeiro tempo. Apaolaza, de cabeça, e Pellegrini, após falha da defesa roja, fizeram 2 a 0 para os mandantes na etapa inicial. O time de Ariel Holán, no entanto, precisou de apenas 11 minutos no segundo tempo para igualar a partida, com gols de Braian Romero e Silvio Romero.

Depois do empate, o jogo ficou aberto com os dois times construindo chances para o terceiro até que o zagueiro Figal foi expulso aos 27 após dar um empurrão em Zuqui em uma confusão que envolveu vários jogadores das duas equipes. Com um homem a mais, o Estudiantes teve maior volume de jogo – e até um gol mal anulado de Apaolaza -, mas não conseguiu a vitória. Os dois times, assim, seguem em posições ruins na tabela. O Estudiantes é 17º enquanto o Independiente aparece em 22º.

 

Vitória sem sustos do Boca

Boca venceu a segunda na Bombonera – Foto: Boca / Divulgação

No jogo que encerrou a rodada do domingo, o Boca Juniors recebeu o Vélez Sarsfield na Bombonera. O esperado encontro entre Mauro Zárate e seu ex-clube acabou não ocorrendo. Zárate assistiu apenas do banco ao tranquilo triunfo xeneize.

Mesmo com o técnico Guillermo Schelotto poupando jogadores – além de Zárate, Pablo Pérez, Gago, Benedetto e Emmanuel Mas ficaram fora dos 11 iniciais -, o Boca impôs ao natural sua qualidade. O primeiro tempo terminou em 2 a 0 para o xeneize. Pavón abriu o placar e Cardona, após pênalti sofrido por Tevez, marcou o segundo.

O Vélez ensaiou uma reação no segundo tempo, mas, mesmo com a zaga xeneize mostrando insegurança, o goleiro Andrada teve pouco trabalho. Se Gabriel Heinze não encontrava soluções para mudar a partida, Schelotto tirou do banco Benedetto e Villa para definir o jogo. O centroavante deu bela assistência para o colombiano, que ampliou para 3 a 0 já nos acréscimos transformando o placar em goleada. A vitória fez o Boca subir para o quarto lugar na tabela, a três pontos do líder Racing. O Vélez é o 19º.

 

Pavón abriu o placar na Bombonera

 

Fim da invencibilidade de Armani

Clássico terminou empatado no Gasómetro – Foto: San Lorenzo / Divulgação

A noite de sábado teve o primeiro confronto entre os chamados cinco grandes da Argentina na Superliga 18/19. O San Lorenzo recebeu o River Plate em clássico que terminou empatado no Nuevo Gasómetro. O principal destaque ficou para a quebra da sequência sem sofrer gol de Franco Armani, que durou 965 minutos, a segunda maior da história da primeira divisão argentina. Armani, assim, não conseguiu bater o recorde de Carlos Barisio, do Ferro Carril Oeste, que ficou 1075 minutos sem levar gol em 1981.

Blandi, aos 31 do segundo tempo, foi o responsável por conseguir vazar Franco Armani ao se antecipar à defesa millonaria em escanteio batido por Ruben Botta. Antes disso, Juan Quintero havia marcado um golaço para o River.

Com o 1 a 1, River Plate e San Lorenzo somam quatro empates cada na Superliga. Por ter feito mais gols, 6, o Ciclón aparece em 16º lugar na tabela enquanto o River, que balançou as redes apenas uma vez, é o 18º.

 

Veja o golaço de Juan Quintero

Adversário do Grêmio vence

No encerramento da rodada, na segunda-feira, o Atlético Tucumán conseguiu uma importante vitória. O Decano foi a Rosario e bateu o Newell’s por 2 a 1 em jogo que o técnico Ricardo Zielinsky poupou alguns titulares. Mauro Matos e Leandro Diáz marcaram os gols da equipe de Tucumán. Mauro Formica anotou o tento do NOB. Com a vitória, o Atlético Tucumán assumiu o terceiro lugar na Superliga, a dois pontos do líder Racing.

Classificações Sofascore Resultados
Cristiano Munari :O blog La Pelota é administrado pelo repórter do Correio do Povo Cristiano Munari. Jornalista formado pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) em 2010, Munari é especialista em futebol argentino. O blog traz informações sobre o Campeonato Argentino e também dos clubes do país vizinho nas competições internacionais. Em ano de Copa do Mundo, o caminho da seleção argentina até a Rússia também terá cobertura especial com informação, análise e opinião sobre o time treinado por Jorge Sampaoli. Contato através do e-mail cmunari@correiodopovo.com.br e pelo Twitter @crismunari Sempre lembrando, “La Pelota no se mancha”