Recordar, observar, narrar, para revelar antes

 

O poeta Diego Grando está lançando “Spoilers” nesta semana, em Porto Alegre; na terça foi no Ocidente; nesta quarta tem bate-papo na Livraria Baleia, da Aldeia

Por Luiz Gonzaga Lopes

 

A solução fácil para este narrador da matéria/quase resenha de lançamento do livro “Spoilers”, de Diego Grando, pela Confraria do Vento, é procurar o significado da palavra derivada do termo inglês spoil para poder montar a sua quase análise do livro e deixar os leitores com apetite de sabor poético. Não sou de soluções fáceis, mas vá lá. Spoiler é sim o estragar a surpresa, revelar antecipadamente algo sobre um livro, filme, sobre algo que seria visto pela primeira vez, inédito ou até inusitado. A partir desta premissa, constituo o título desta quase matéria: Recordar, observar, narrar, para revelar antes. Posso dizer que da formalidade de construção de “Sétima do Singular” – onde havia métrica, rima, toda a construção mais convencional de poemas – que Diego está antecipando coisas, saindo do estraga-prazeres de um Spoiler, para um cria-prazeres da leitura de seus versos livres, quase uma prosa poética, que recorda momentos e coisas com avós (Memorabilia), presta contas (Prestação de Contas) e salvar um arquivo (Arquivo, Salvar) no conjunto de poemas do capítulo Passado Pressentido e se joga para um futuro do presente em Presente Prorrogado, com poemas como Cortejo, Textão e Portanto Porto Alegre, que vem bem a calhar nestes 246 anos da capital dos gaúchos, a serem completados na próxima segunda-feira, cidade que se forjou pela parceria de casais açorianos em uma nova freguesia no dia 26 de março de 1772:

 

“…Porto Alegre, quinta-feira

vinte e seis de março

mil setecentos e setenta e dois

Porto Alegre, a verdade

é que não sei se te amo

se fui infiel ou estou apressado

se ainda sou jovem, se já me arrependo

só de pensar que te escrevo, Porto Alegre

que te desejo meu inferno

depois do último dia

                                               de sol

depois do pôr”

No release de divulgação, a editora diz que “Spoilers” é um livro de poesia essencialmente sobre o tempo: Com versos robustos e poemas encorpados, Diego Grando desdobra o conceito do que chamamos “tempo”, nos alertando sobre como às vezes nos paralisa nossa interpretação do que está intrinsecamente ligado a esse termo – memória, ausência, projetos, frustrações. O livro apresenta a crueza do que é o passar desse tempo, as urgências, desejos e impossibilidades que ele nos impõe”. O que posso refutar destas assertivas. Só posso colher poemas no pé do tempo com Diego e exultar como leitor encantado pela obra.

E vamos então ao serviço deste momento de êxtase da poesia gaúcha, com o lançamento de “Spoilers”, que já teve atividade nesta terça, à noite, no Ocidente, antes do Sarau Elétrico, do qual Diego faz parte junto com Luís Augusto Fischer, Kátia Suman e convidados. Nesta quarta-feira, dia 21 de março, às 19h, o lançamento é na Livraria Baleia, do Aldeia, de Nanni Rios (Rua Santana, 252, bairro Farroupilha, Porto Alegre). Além dos autógrafos, Diego Grando estará batendo papo com dois caras de boa safra da nossa literatura: Reginaldo Pujol Filho (que costuma mediar caras como Gonçalo M. Tavares e José Luis Peixoto) e Pedro Gonzaga (que já mediou Alberto Manguel e Einar Már Gudmundsson, entre outros).

 

SOBRE O AUTOR

Diego Grando em registro de Theo Tajes

Diego Grando nasceu em Porto Alegre, em 1981. Publicou os livros “Desencantado carrossel”, “Sétima do Singular” e o in-fólio “25 Rua do Templo / Palavra Paris”. Faz parte do elenco do Sarau Elétrico, tradicional evento de literatura que acontece em Porto Alegre. “Spoilers” foi desenvolvido como parte de sua tese de doutorado em Letras, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

FICHA TÉCNICA

“Spoilers”

de Diego Grando

Confraria do Vento

128 páginas

R$ 45,00

redacao :