As praias poéticas de Ronald Augusto

Poeta lança novo livro pela Artes & Ecos, neste sábado, no Vidal Café, em Porto Alegre

 

A Artes & Ecos apresenta neste sábado o novo e belíssimo livro do poeta Ronald Augusto, intitulado ‘’Entre uma praia e outra’’. O livro conta com prefácio de Guto Leite e posfácio de Erre Amaral. A fotografia da capa é de Fabiano Scholl, o projeto gráfico de Roberto Schmitt-Prym e a coordenação editorial de Lucas Krüger. Editora Artes & Ecos, de Porto Alegre. O lançamento será neste sábado, 1° de setembro das 15h às 18h no Vidal Café (Rua Mata Bacelar, 52 – Porto Alegre). O livro já se está à venda no site da editora (www.arteseecos.com.br/ronaldaugusto) com entrega gratuita para todo o território nacional.

No texto crítico do poeta e professor Guto Leite as qualidades de Ronald e especificamente deste livro são exaltadas: “o que gostaria de frisar é que nos últimos anos, na poesia do Ronald, há uma notável acumulação, em grau que não vejo ocorrer em nenhuma outra poética que acompanho. Enquanto outras autoras e outros autores facilitam o trabalho do leitor, “dão pezinho” ou “dão uma mãozinha”, como se diz, ou uma ajuda que vem de cacoetes não de todo conscientes a esses autores, com a poesia de Ronald, especialmente neste livro, é preciso encarar o poema, sua própria forma desnaturaliza o gesto de ler e interrompe a maneira mais ou menos sonâmbula em que vivemos. Não raro paro a leitura à cata de um dicionário para precisar o termo e volto com um problema ainda maior, já que os sentidos dos versos se multiplicam. Quando vencemos o poema, o poema não é vencido, porque deixa indissolúvel uma composição cheia de pontas. Não é isso a vida, afinal? Salvo engano, põe em questão inclusive essa estrutura de vencedores e vencidos, que marca até mesmo a linguagem usual, pragmática, instrumentalizada, a serviço da prática”.

Para dar um gostinho, aí vai um poema de “Entre uma Praia e Outra”:

léguas de nuvens enublam

a manhã sobre a terra de gamboa

à maneira do malungo

vislumbro alguns círculos acima

à toa e também indiferentes

às pautas da fiação-ficção presa

aos postes

andorinhas e mesmo que

pesem suas alas (dar de ombros):

bloco sin rayas

vaias de praias errabundas

sequestro de epicurismo

desavença entre trampo

e trampas

 

Ronald Augusto nasceu em Rio Grande (RS), em 1961. É poeta, músico e ensaísta. As principais temáticas presentes em seu repertório intelectual referem-se à poesia contemporânea e à vertente negra na literatura b r a s i l e i r a . É uma das maiores vozes da poesia negra brasileira, sendo um destaque absoluto no Rio Grande do Sul. A t u a l m e n t e , R o n a l d Augusto realiza palestras e oficinas/cursos abordando assuntos comomúsica, poéticas contemporâneas, literatura negra e poesia visual. Entre 2007 e 2012, manteve, ao lado do poeta Ronaldo Machado, a Editora Éblis,voltada para a poesia. De 2009 a 2013 foi editor associado do website Sibila (www.sibila.com.br). Tem colaborações (resenhas e artigos de cultura e arte) nos cadernos Cultura do Diário Catarinense, Correio do Povo (Caderno de Sábado) e do jornal Zero Hora. Dá expediente no b l o g P o e s i a – P a u ( w w w.p o e s i a-pau.blogspot.com) e é colunista do site do jornal Sul 21 – (sul21.com.br/jornal). Publicou os livros Homem ao Rubro, 1983; Negro 3 x Negro (com Paulo Ricardo de Moraes e Jaime da Silva), 1983; Disco (com I. Hingo), 1986; Kânhamo, 1987; Puya,1987; Vá de Valha, l992; Confissões Aplicadas, 2004; No assoalho duro, 2007; Cair de Costas, 2012; Oliveira Silveira: poesia reunida (organizador), 2012; Decupagens Assim, 2012; Empresto do Visitante, 2013; Mnemetrônomo, 2014; Nem raro nem claro, 2015; À Ipásia que o espera, 2016 e Subir ao mural, 2017.

redacao :