Hamilton supera Ferrari no braço e na tática para vencer GP da Itália

Hamilton deixou Vettel para trás e foi em busca da vitória

Lewis Hamilton venceu a Ferrari na tática e na pista, numa das suas melhores demonstrações de pilotagem neste domingo. Na casa da Ferrari, os tifosi foram silenciados por uma sequência de trapalhada de Sebastian Vettel e tática ruim para Kimi Raikkonen. Aí, Hamilton mesmo com uma Mercedes de performance inferior aos italianos foi para cima e faturou uma vitória que pode valer o pentacampeonato. Raikkonen chegou conformado em segundo, com o apagado ajudante Valtteri Bottas em terceiro.

Kimidera ficar na frente… E dessa vez vou tentar

O domínio vermelho no grid de largada se desmanchou na quarta curva. Raikkonen espremeu estranhamente Vettel na largada e manteve a ponta. Isso deu a chance de Hamilton atacar e o britânico passou por fora. Vettel exagerou na freada, bateu na lateral do britânico e rodou na pista, caindo para último. O prejuízo ficou um pouco menor pelo safety car, acionado pela rodada e, também, pelo carro parado de Brendon Hartley no grid de largada, após ter o pneu furado numa série de colisões.

Na relargada, Raikkonen tentou abrir vantagem com uma Ferrari mais equilibrada, mas Hamilton respondia sempre, aproveitando o vácuo para se manter próximo. Atrás, Max Verstappen deu um jeito de passar Bottas e se colocar em terceiro, enquanto a movimentação maior era lá atrás, com Vettel e Ricciardo duelando forte, enquanto passavam o pelotão.

Ricciardo exagerou e quase fez strike com Gasly

Liderando esse grupo, Fernando Alonso estava em décimo em defesa do último pontinho, mas com uma McLaren claramente inferior nas retas. Segurou Sérgio Perez duas vezes, mas enfim cedeu para depois parar com problemas mecânicos.

Ricciardo ao costurar o pelotão quase bateu em Pierre Gasly e por pouco não foi encaixotado por Vettel. O alemão aproveitou para superar a Red Bull e entrar na zona de pontos. Falando em pontos, a Williams conseguia figurar no top ten, com Lance Stroll aproveitando a velocidade de reta para se misturar com a turma da frente.

Parada antecipada fez pneus de Raikkonen acabarem antes do fim

Vieram as paradas de box. Foi o segundo momento-chave da corrida, com mais um erro italiano comprometendo vitória que parecia certa. A Mercedes indicou que faria uma troca e a Ferrari caiu no blefe, antecipando a entrada de Raikkonen. A mudança de pneus muito cedo garantiria o finlandês na frente quando todo mundo parasse, mas pagaria imposto caro no fim pela durabilidade dos pneus.

Hamilton permaneceu várias voltas na liderança, sem perder muito para Raikkonen. Quando parou, voltou quatro segundos atrás. Só que o bote estava preparado para o final. Primeiro, com Bottas servindo de escudeiro de luxo. Os alemães atrasaram sua parada para segurar Raikkonen atrás dele e permitir a chegada de Hamilton, além de sobrecarregar os pneus da Ferrari com turbulência nas curvas de alta.

Verstappen exagerou na dose e jogou Bottas para fora da pista

Por algumas voltas, parecia que Raikkonen teria o suficiente para finalmente vencer e quebrar um jejum de 108 provas. Mas logo surgiram bolhas nos quatro pneus e o ritmo caiu drasticamente. A oito voltas do fim, acabou a festa tifosi. Hamilton colocou por fora, atrasou a freada e foi embora. O finlandês nem teve como responder e rapidamente caiu a sete segundos da Mercedes.

Hamilton deu bote certeiro e disparou para vencer

Na batalha pelo terceiro posto, Bottas tentou o mesmo, mas Verstappen se moveu durante a freada e bateu no carro do rival. Levou punição correta de cinco segundos, mas encheu de desaforo os fiscais esportivos. Continuou fechando a porta de Bottas até o fim, o que atrapalhou suas chances de manter o quarto lugar. Isso porque Vettel aproveitou a rusga para diminuir a diferença para os dois e, com a punição, superar a Red Bull na cronometragem.

Bandeirada com festa total de britânicos e alemães, Raikkonen ligeiramente conformado no segundo posto e a Ferrari azeda ainda mais longe da liderança. Era uma corrida para vencer e convencer. Romain Grosjean chegou em sexto numa prova solitária com a Haas, seguido das duas Race Point (Force India), Ocon à frente de Perez. Carlos Sainz levou dois pontos para a Renault, enquanto Stroll faturou um raro pontinho para a Williams com Stroll.

Confira o resultado:

Bernardo Bercht :