Jovem empreendedor se destaca na culinária japonesa

A expansão da culinária japonesa em Porto Alegre torna atrativa a profissão de sushiman

Aos 19 anos, Marcelo Luis Machado deu uma guinada na sua vida profissional. O gosto pela culinária japonesa impulsionou o início de uma nova atividade. Hoje, com 33 anos, ele tem orgulho de sua trajetória, iniciada na Peixaria Japesca, depois nas Temakerias do grupo e mais recentemente à frente do Sushi 40, em ponto nobre da Capital, na Rua Padre Chagas, onde atua como o principal sushiman do restaurante, que abre suas portas diariamente para almoço e jantar.

Jovem, recém-casado e trabalhando sem carteira assinada, o convite para ingressar na Japesca, com vínculo empregatício, foi um atrativo na época e o início de uma vasta experiência ao longo de cinco anos, conhecendo pescados, suas origens e seus cortes.

Com a implantação da rede de Temakerias Japesca, há nove anos, veio logo o convite por parte dos sócios, para Marcelo assumir como sushiman à frente do novo empreendimento. Um treinamento de sete meses veio a seguir, sob a tutela de uma profissional de renome do cenário local, a professora de culinária japonesa, Yhoe Kuamoto. “Aprendi o preparo do arroz, outros cortes de peixes, a técnica dos rolinhos, o uso dos temperos, a faca correta. Aprendi muito”.

Ele considera fundamental na atividade a prática. “Às vezes, 100 ml a mais de água pode estragar o arroz. O peixe não pode passar de uma temperatura de cinco graus centígrados, mais do que isto, corre o risco de apresentar bactérias. A profissão exige compromisso com tudo isto”, ensina. É com esta certeza e posicionamento, que ele comanda há cerca de dois anos, com garra e satisfação, a cozinha do Sushi 40, também do grupo Japesca, respondendo ainda pelo treinamento da equipe, formando novos profissionais, “jovens em sua maior parte”, como reitera. “São guris, que chegam crus e aprendem muito. A profissão vem crescendo, com o ingresso de muitos restaurantes com esta temática em Porto Alegre”.

Marcelo conta que o público que frequenta o restaurante é formado na sua maioria por jovens, adeptos do salmão e do cream cheese. “É obrigatório para eles, uma combinação muito boa com o arroz”. Um dos pratos mais procurados por esta faixa etária é o Gunkamaki, sempre presente no nosso cardápio – um sushi com bolinha de arroz recheada.

Servindo em torno de 120 refeições ao meio-dia e cerca de 200 à noite, a qualidade do que é ofertado no Sushi 40 é prioritária, mas também exige “o gostar do que se faz”, aponta o sushiman, que também, com olhos no futuro, não deixa de pensar em buscar novas especializações em mercados maiores, como São Paulo, por exemplo. “Penso em fazer novos cursos”. Ele recomenda a profissão de sushiman, hoje em ascendência e bem remunerada, mas deixa claro a importância do comprometimento pois “o que sai da minha mão vai direto para a boca do cliente. É preciso gostar do que se faz. É preciso compromisso”, finaliza, com orgulho da profissão.

Foto: Divulgação / CP

Simone S. Lopes :