Correio do Povo

12/08/2018 12:28 - Atualizado em 12/08/2018 18:48

Esportes > Esportes

Corrida de rua mobiliza cerca de 2,8 mil pessoas em Porto Alegre

POA Day Run teve quatro modalidades e foi realizada na manhã deste domingo

Pórtico de largada foi ao lado do Parque Marinha do Brasil- Crédito: Guilherme Almeida
Pórtico de largada foi ao lado do Parque Marinha do Brasil
Crédito: Guilherme Almeida

Cerca de 2,8 mil jovens, adultos e idosos participaram na manhã deste domingo da segunda etapa do Circuito Hospital Moinhos de Vento POA Day Run na avenida Edvaldo Pereira Paiva, em Porto Alegre. Com o pórtico de largada e chegada montado ao lado do Parque Marinha do Brasil, o evento teve os percursos de 3 quilômetros, 5 quilômetros, 8 quilômetros e 16 quilômetros.

Diretor da Run Sports, Cláudio Soierefmann recordou que o POA Day Run já acontece há seis anos – e este é o primeiro que ocorre com patrocínio do Hospital Moinhos de Vento. Agora em 2018, explicou ele, a primeira etapa ocorreu em abril deste ano, e a terceira e última está marcada para novembro. “O objetivo é que os atletas consigam crescer e aumentar suas distâncias, além de promover bem-estar e saúde, tirar um pouco a preguiça e vir se exercitar”, enfatizou, destacando a superação e obtenção de metas por parte dos participantes. “Todas as nossas provas são sempre para os atletas amadores”, frisou. A premiação é feita com brindes, como entrega de tênis esportivos. Foto: Guilherme Almeida No local, Cláudio Soierefmann ressaltou que foi instalado também um lounge com comodidade, entretenimento e serviços. O espaço não é apenas voltado aos participantes das provas mas também mas também aos “acompanhantes e familiares”, possibilitando que “possam ter algo para curtir”. Várias academias com suas tendas também estiveram presentes, enviando inclusive suas equipes. “São grupos de alunos de academias ou grupos específicos de corridas”, assinalou. O diretor da Run Sports citou ainda a participação da organização não governamental Rosto ao Vento que busca promover a inclusão social de crianças e adultos cadeirantes através da corrida de rua em cadeiras adaptadas. “É um projeto bem bacana”, resumiu, acrescentando que familiares costumam acompanhar as crianças. “A felicidade delas correndo é muito legal. É um projeto muito bonito”, constatou.

ESPORTES > correio@correiodopovo.com.br