Correio do Povo

31/08/2018 07:04 - Atualizado em 31/08/2018 07:16

Arte & Agenda > Variedades

Último adeus à Aretha Franklin é celebrado em um concerto em Detroit

Foram disponibilizados 5 mil ingressos gratuitos para a cerimônia de homenagem

Cantora foi homenageada foi homenageada com músicas de R&B, Gospel, Jazz e Blues- Crédito: Angela Weiss / AFP / CP
Cantora foi homenageada foi homenageada com músicas de R&B, Gospel, Jazz e Blues
Crédito: Angela Weiss / AFP / CP

Milhares de fãs de Aretha Franklin foram na noite desta quinta-feira ao concerto em Detroit em tributo à cantora, onde recordaram as emblemáticas canções da "Rainha do Soul", na véspera do seu funeral. Ao menos 40 artistas subiram no palco durante o "Tributo à Rainha do povo" realizado no Chene Park Amphitheatre, um estádio ao ar livre no centro de Detroit, duas semanas após a morte de Aretha Franklin em sua casa em Michigan. A cantora de 76 anos, amada por milhares de pessoas ao redor do mundo, morreu de câncer em 16 de agosto, encerrando uma carreira extraordinária de seis décadas que a converteu em uma das artistas mais famosas dos Estados Unidos. Franklin, elevada à realeza em sua cidade natal, foi homenageada com música de R&B, Gospel, Jazz e Blues, e suas netas também subiram brevemente no palco para agradecer ao público em nome da família. "É um concerto maravilhoso. As pessoas que não puderam vir, simplesmente não sabem o que perderam", disse Tembley Reynolds, um trabalhador de 60 anos que veio de Saginaw, Michigan. Os 5 mil ingressos gratuitos se esgotaram em minutos na Internet. Os milhares de fãs puderam ouvir sucessos de Franklin, incluindo "Freeway of Love", um hino à sua cidade natal, "Say A Little Prayer", "Natural Woman" e a inesquecível "Respect", interpretada no final por todo o elenco. Participaram do tributo The Four Tops, Dee Dee Bridgewater e Angie Stone, entre outros ícones da música americana, e um coro gospel fez reviver o ambiente de igreja, levantando o público com uma interpretação enérgica de clássicos como "Amazing Grace", por Tasha Page-Lockhart. O tenor Rod Dixon cantou "Nessun Dorma" para recordar a interpretação de Franklin da aria de Puccini em substituição a Luciano Pavarotti, que ficou doente e não pode ir à entrega dos prêmios Grammy em 1998. Mais cedo nesta quinta-feira, Aretha Franklin voltou à igreja de seu pai pela última vez, deitada resplandecente em um caixão aberto, com um vestido rosa e sapato de salto com lantejoulas. Milhares de fãs se aproximaram da Igreja Batista New Bethel, em Detroit, para se despedir da "Rainha do soul". Debra Demmings, de 63 anos, dirigiu a noite inteira de Minnesota para chegar à fila que se estendia fora da igreja já às 07h30 locais (08h30 de Brasília), quatro horas antes do início da última oportunidade para o público dar o último adeus a Franklin. A fila se estendeu por mais de um quilômetro, em um ambiente festivo onde os fãs cantavam e trocavam histórias. O ex-presidente Bill Clinton e Smokey Robinson também estão entre os que irão ao funeral que durará seis horas na sexta-feira, onde só se poderá entrar com convite, e haverá tributos musicais de Stevie Wonder e Ariana Grande. Franklin cantou no funeral de Martin Luther King Jr. e nas cerimônias de posse dos presidentes Clinton e Obama.

VARIEDADES > correio@correiodopovo.com.br