Correio do Povo

05/09/2018 16:48 - Atualizado em 05/09/2018 17:14

Arte & Agenda > Variedades

Amigos e colegas lamentam a morte da atriz Beatriz Segall

Artista faleceu aos 92 anos, após ficar internada por problemas respiratórios

Atriz ficou eternizada no papel de Odete Roitman, grande vilã da novela "Vale Tudo", de 1988- Crédito: Divulgação / TV Globo / CP
Atriz ficou eternizada no papel de Odete Roitman, grande vilã da novela "Vale Tudo", de 1988
Crédito: Divulgação / TV Globo / CP

Amigos, colegas e admiradores famosos da atriz Beatriz Segall fazem nesta quarta-feira homenagens e lembram o seu grande trabalho na TV e no teatro. A atriz, que morreu aos 92 anos, após ficar internada por problemas respiratórios, ficou eternizada no papel de Odete Roitman, grande vilã da novela "Vale Tudo", de 1988. Gilberto Braga, autor de "Vale Tudo", disse à Globonews: "Foi uma grande atriz de TV e de teatro, que não fez só vilãs. Em 'Vale Tudo', foi tudo o que se diz dela. Escrevi a personagem para ela, como fiz para outros atores. Tudo o que ela falava na novela funcionava. A personalidade da Beatriz me ajudou a construir a da Odete Roitman. Em 'À margem da Vida', de Tennessee Williams, no teatro, fez uma Amanda Wingfield da qual era difícil ter pena, porque ela não era muito afetuosa. Era muito difícil ter pena de Beatriz Segall". Glória Pires, colega de elenco de Beatriz Segall em "Vale Tudo", comentou no Instagram: "Sei que ela está num bom lugar, mas é uma grande perda". Nathalia Timberg, também colega de elenco em "Vale Tudo", declarou à GloboNews: "Sei que Odete (Roitman) habita o imaginário popular, mas foi de seu papel na peça 'As Três Mulheres' que jamais vou esquecer". Eduardo Barata, presidente da Associação de Produtores de Teatro do Rio, afirmou ao jornal "O Estado de S. Paulo": "Trabalhei com Beatriz em duas peças, mas quando lutamos pela Lei Rouanet no Congresso, há mais de dez anos, conheci outro lado dela. Ela andava no Congresso, tudo parava porque era Odete Roitman chegando. Ela dava banho em todos, a gente exausto, e ela o dia inteiro lá, correndo atrás de deputado e senador. Também foi muito presente em relação à Lei da Meia Entrada. As pessoas podiam achar que ela era pernóstica, por causa da personagem, mas ela tinha certeza da função dela nas artes, não era celebridade. Era uma mulher do diálogo. Tinha formação intelectual sólida, versava sobre qualquer assunto sobre produção cultural, e era muito objetiva. O teatro brasileiro deve muito a ela. Falamos só de Fernanda (Montenegro) mas Beatriz era uma das grandes estrelas do teatro moderno brasileiro, que não deitava no berço esplêndido da fama e da certeza de ser uma grande atriz. Pensava no coletivo". A atriz Beatriz Nogueira usou o Instagram para se pronunciar. "Minha amiga deve ser um pássaro, porque voa", disse.  Já Daniela Mercury se manifestou pelo Twitter: "Beatriz Segall era uma diva muito amada e respeitada por todos que conheceram sua arte". A apresentadora Fernanda Paes Leme escreveu no Twitter: "Perdemos um ícone". Já a atriz Regiane Alves disse: "O céu está em festa".

VARIEDADES > correio@correiodopovo.com.br