Correio do Povo

11/09/2018 16:41 - Atualizado em 11/09/2018 16:45

Notícias > Geral

Tapumes começam a ser instalados no Museu Nacional

Polícia Federal da seguimento à investigações sobre causas da tragédia

Diretor do Museu ainda não analisou criação de Abram- Crédito: Mauro Pimentel / AFP / CP Memória
Diretor do Museu ainda não analisou criação de Abram
Crédito: Mauro Pimentel / AFP / CP Memória

A instalação de tapumes no entorno do Palácio de São Cristóvão, sede do Museu Nacional, teve início na manhã desta terça-feira, para garantir um perímetro de segurança na área. O palácio e a maior parte do acervo guardado nele foram destruídos por um incêndio no início do mês. A Polícia Federal investiga as causas da tragédia. Segundo o diretor do museu, Alexander Kellner, a instalação deve demorar alguns dias e vai garantir que curiosos ou criminosos não invadam o interior do palácio. "Há uma preocupação com o acervo. Infelizmente, quando ocorrem catástrofes assim em outros países, pessoas que não têm sensibilidade querem entrar para ter algum ganho pecuniário". Na manhã de hoje, um homem foi detido por pichar a estátua de Dom Pedro II, que fica em frente ao Palácio. O diretor disse ainda que espera se reunir com a Prefeitura do Rio de Janeiro para discutir a segurança da Quinta da Boa Vista, parque municipal onde fica o Museu Nacional. Outro assunto que deverá estar na pauta é a elaboração de propostas de atividades externas para manter a proximidade com a população e visitantes, durante o período em que o Museu ficará fechado para obras. Entre o acervo que ficaria em uma possível exposição externa, na Quinta, está parte das peças que já foi resgatada, além de outras que estavam guardadas em áreas não atingidas pelo incêndio. Kellner disse ainda que já está em planejamento uma forma de cobrir o museu, cujas lajes desmoronaram com o incêndio. Sem essa cobertura, o acervo que está sob os escombros pode ser ainda mais danificado pela chuva. O trabalho de resgate das peças que podem ser salvas dos escombros ainda depende da liberação pela Polícia Federal. Agência de Museus O diretor do museu disse não ter se debruçado sobre a medida provisória, assinada na segunda-feira, que criou a Agência Brasileira de Museus (Abram). A decisão do presidente Michel Temer transferiu para a nova agência a gestão de 27 museus e delegou a ela a responsabilidade pela reconstrução do Museu Nacional. "Neste momento, o paralelo que eu faço é o de uma mina que desabou sobre pessoas. Existem pessoas lá dentro que precisam ser resgatadas. O que eu preciso fazer? Concentrar esforços no resgate ou discutir o código da mineração?", disse Kellner, que afirmou não ser contra negociar parcerias com a iniciativa privada. "Vejo com bons olhos a iniciativa privada auxiliando instituições museais".

GERAL > correio@correiodopovo.com.br