CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 12 DE MARÇO DE 1999
País atingido pelo maior blecaute desde 85
Falta de energia afetou diversos estados do Sul e do Sudeste, gerando o caos e causando transtornos nas maiores cidades 

 Um blecaute, o maior desde 1985, atingiu ontem à noite vários estados do país. A maior parte dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Sul de Minas Gerais ficaram às escuras. O RS foi o primeiro a ser atingido pelo blecaute, que começou às 22h15min e durou 40 minutos na maior parte do Estado, 45 minutos no Rio e dez minutos em Santa Catarina. No Rio, a luz voltou a cair após ter sido restabelecida. Na madrugada de hoje, 40% das áreas do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo ainda estavam sem luz. Técnicos da Furnas Centrais Elétricas e das concessionárias regionais ainda tentavam descobrir as causas do corte de energia. Uma das hipóteses analisadas é um problema em Itaipu, já que o blecaute ocorreu praticamente no final do horário de pico, o que afasta, em princípio, a possibilidade de sobrecarga no sistema. Uma queda em uma linha de transmissão ligada ao RS também estava sendo considerada pelos técnicos da estatal.
 
Assim que começou o blecaute, o ministro de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho Neto, se dirigiu à central de Furnas, em Brasília, para monitorar pessoalmente o processo de restabelecimento da energia e acompanhar as investigações sobre as causas do problema. O ministro informou que até a possibilidade de sabotagem será investigada a partir de uma reunião que convocou para hoje.

Segundo o presidente da CEEE, Vicente Rauber, houve uma pane no sistema interligado de energia da região Sul-Sudeste com o sistema nacional. O blecaute comprometeu todo o fornecimento de energia importada, que corresponde a 70% da energia consumida no Estado. Conforme Rauber, apenas a região Central do RS não foi atingida, devido à geração própria. Gravataí e alguns bairros da Capital ficaram mais de uma hora sem luz. Até o início da madrugada, o presidente da CEEE ainda desconhecia as causas do corte. Rauber disse que nunca havia visto um blecaute de tamanha proporção. Ele confirmou que a interrupção de energia começou pelo RS, mas descartou que o problema de transmissão tenha sido provocado dentro do Estado.

Em São Paulo, as redes de metrô e trens urbanos ficaram paralisadas por quase uma hora. A situação do trânsito na capital paulista ficou caótica, pois os sinais dos principais cruzamentos da cidade foram apagados. Os aeroportos de Congonhas e Cumbica, em Guarulhos, ficaram sem luz. As Polícias Militar e Civil saíram às ruas da capital paulista para evitar saques e arrastões. No Rio, houve engarrafamento em várias áreas da cidade. O Aeroporto Internacional ficou sem energia durante 15 minutos. Em setembro de 97, um relatório da Furnas já alertava para o risco de blecaute nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, em razão do aumento no consumo.
 
 


Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil